A Adobe lançou hoje a Creative Cloud em todo o mundo, e isso inclui o Brasil. O pacote de aplicativos exige uma assinatura anual e, por aqui, os valores ainda estão em dólar.

A antiga Creative Suite não receberá novas versões, e o pacote de aplicativos da Adobe atende agora pelo nome de Creative Cloud. O que muda? Na prática, significa que as atualizações serão mais rápidas, e você terá acesso a novas ferramentas com mais facilidade. A Adobe eliminou a necessidade de lançar uma nova versão dos aplicativos a cada um ou dois anos, e os novos recursos implementados chegam mais rápido aos usuários – basta instalar uma atualização.

A Creative Cloud conta com novos softwares que não estavam na antiga CS6. Entre eles estão o Adobe Edge, para otimização de sites em diversas plataformas; e o Adobe Muse, para criação de sites em HTML. Todos os presentes na Creative Suite continuam disponíveis e com novos recursos. O Photoshop, por exemplo, ganhou o Shake Reduction, para reduzir borrões em fotos capturadas com a câmera em movimento.

Nós já falamos bastante sobre a Creative Cloud aqui e aqui. As novidades do dia envolvem a disponibilidade no Brasil: pelo site da Adobe, você pode assinar o plano individual, e terá que pagar em dólar (felizmente, a assinatura mensal custa os mesmos US$ 50 cobrados nos EUA, com a inclusão de impostos locais). O plano Equipes (para pequenas empresas) e o Enterprise (para grandes empresas) só podem ser assinados pelas revendas autorizadas da Adobe – são cerca de 100 revendedores no Brasil.

Caso você queira continuar possuindo a versão física do software, a Adobe continuará vendendo a Creative Suite 6 no Brasil – mas as atualizações serão exclusivas do Creative Cloud.