A Volkswagen anunciou que vai encerrar a produção de veículos com motor de combustão na Europa entre 2033 e 2035. Segundo um dos membros do conselho da empresa, o plano será expandido também para o Estados Unidos e China alguns anos depois, e se encerrará com América do Sul e África mais futuramente.

Em entrevista para o periódico alemão Merkur.de, o diretor do conselho de vendas da Volkswagen, Klaus Zellmer, afirma que o roteiro da companhia para aposentar motores por combustão será gradativo e “baseado nas diferentes velocidades de transformação em regiões individuais”. No entanto, a montadora diz que isso vai depender das metas de redução de poluentes de cada continente.

Zellmer explicou que concorrentes que vendem carros na Europa, por exemplo, terão que lidar com menos complexidade no que se refere à transformação por causa das diretrizes políticas, que já são bem claras. Em termos de veículos elétricos movidos por bateria, Zellmer disse que a Volkswagen visa aumentar a participação nas vendas totais para 70% até 2030 na Europa.

“Estabelecemos metas e marcos muito claros. No mais tardar, faremos toda a nossa frota neutra em relação ao CO2 até 2050. Na Europa, sairemos do negócio de veículos com motor de combustão entre 2033 e 2035; nos EUA e na China ,um pouco mais tarde. Na América do Sul e na África, por falta de condições de enquadramento político e de infraestrutura, vai demorar um pouco mais”, declarou o diretor.

Em abril deste ano, a União Europeia anunciou metas mais ambiciosas para redução de emissões de carbono, passando de 40% para 55% até 2030, em comparação com o objetivo de emissões líquidas zero até 2050.

Assine a newsletter do Gizmodo

A lista só aumenta

O anúncio da Volkswagen é o mais recente na lista de montadoras que têm se comprometido a cortar por completo o uso de combustíveis fósseis em seus futuros veículos. A Ford, por exemplo, disse que só venderá modelos elétricos na Europa até 2030, e que gastará US$ 1 bilhão (R$ 4,98 bilhões na conversão direta) para transformar sua fábrica em Colônia, na Alemanha, no primeiro centro europeu de fabricação de carros elétricos. A General Motors, por sua vez, pretende eliminar a produção de veículos leves movidos a gás até 2035, e planeja ser neutra em carbono até 2040. A Honda também não venderá mais automóveis movidos a gás em 2040.