Na semana passada, a Apple disse que iPhones rodando iOS 8 terão suporte a Wi-Fi Calling, uma tecnologia bacana que pode usar sua rede Wi-Fi para fazer chamadas. Não se trata de VoIP: aqui, sua voz é levada até o destinatário usando a infraestrutura da operadora celular.

Essa tecnologia existe há muitos anos, e pode enfim receber o destaque que merece. Mas a terminologia é confusa, e as operadoras não explicam direito como isso funciona. Então, o que exatamente é Wi-Fi Calling?

O Wi-Fi Calling permite fazer chamadas e enviar mensagens de texto usando a internet…

O Wi-Fi Calling permite que voz e SMS do seu telefone sejam transferidos para sua operadora através da internet. Dessa forma, eles entram na rede celular como se tivessem sido transmitidos pelo ar.

Ou seja, o Wi-Fi Calling conecta sua voz à rede da sua operadora usando a internet, em vez de torres de celular. Com isso, a pessoa que recebe a ligação vê o seu número, e sabe quem está ligando.

É importante destacar que isso não é VoIP, nem funciona como o Skype ou Google Hangouts – que fazem sua voz viajar pela internet, e não estão associados a seu número de telefone.

O Wi-Fi Calling também é conhecido como VoWiFi, GAN (Generic Access Network) ou UMA (Unlicensed Mobile Access).

… o que é útil e pode poupar dinheiro…

O sistema tem suas vantagens: ele permite fazer chamadas usando seu número de telefone, mesmo quando o sinal da rede estiver fraco, ou quando você estiver fora da sua área de cobertura.

Além disso, chamadas via Wi-Fi Calling não são descontadas de planos pós-pagos nos EUA. Na verdade, algumas operadoras (como a Sprint) permitem fazer e receber ligações no exterior usando Wi-Fi Calling – e sem cobrar nada por isso. Assim, a tecnologia pode ajudar a economizar minutos e SMS.

… se operadoras e fabricantes realmente o adotarem…

Por enquanto, poucas operadoras no mundo – e nenhuma no Brasil – dão suporte a Wi-Fi Calling. Temos, por exemplo, a T-Mobile nos EUA e a EE no Reino Unido, com as quais a Apple vem trabalhando.

Na verdade, algumas operadoras até ofereciam Wi-Fi Calling, mas desistiram: é o caso da Orange na França, da TeliaSonera na Dinamarca, e da BT no Reino Unido.

E não é por falta de apoio das fabricantes: nesta lista da T-Mobile com dispositivos compatíveis, há smartphones novos (LG G3) e antigos (Galaxy S II), caros (iPhone 6) e baratos (Lumia 521). Modelos antigos da BlackBerry, HTC e Nokia também traziam suporte a Wi-Fi Calling.

O que falta é um apoio de verdade das operadoras, que está vindo aos poucos. Nos EUA, a Sprint lançou o serviço só este ano, e apenas para alguns dispositivos Android. A AT&T, por sua vez, fará o mesmo em 2015.

Parece que a Apple está conversando sério com as operadoras para ampliar o suporte a essa tecnologia. A Vodafone Hutchison Australia, por exemplo, diz que está “em discussões com a Apple para dar suporte a Wi-Fi calling”.

A americana T-Mobile tem Wi-Fi Calling há sete anos, e a partir de agora, todo novo celular da operadora terá suporte ao serviço – seja ele um iPhone, Android ou Windows Phone. Operadoras menores nos EUA, como a Republic Wireless, fazem algo semelhante.

… e se ele realmente funcionar como prometido.

A qualidade de ligações via Wi-Fi Calling na T-Mobile já foi avaliada várias vezes ao longo dos anos, quase sempre de forma positiva. Mas a ligação continua funcionando mesmo que você saia do Wi-Fi?

Nem sempre. O site da T-Mobile diz que “A maioria dos dispositivos não fará a transição entre Wi-Fi e rede sem fio”, e “dispositivos não farão a transição entre Wi-Fi e rede celular”. A Sprint diz algo semelhante: “A ligação irá cair se o usuário se mover entre uma rede Wi-Fi e a rede celular”.

O ideal é que – assim como foi apresentado na keynote da Apple – a ligação seja transferida de forma automática para o VoLTE (voz sobre LTE), que usa a rede 4G para maior qualidade de voz. Na verdade, a AT&T diz que não vai implementar Wi-Fi Calling até que ela possa oferecer VoLTE.

Nesse caso, a transição seria mais fácil: afinal, se sua voz é transformada em pacotes que viajam por Wi-Fi, eles poderiam viajar por 4G também. De novo, isto não é VoIP: sua voz será direcionada para a rede da operadora, e sua ligação estará associada ao seu número de telefone – do outro lado da linha, vão saber que você está ligando.

Em suma, há um grande potencial para o Wi-Fi Calling, mas a tecnologia ainda não está madura – e provavelmente teremos que esperar mais algum tempo até que ela chegue ao Brasil.

Colaborou: Felipe Ventura. Imagem por Powerpig