A conferência Build, da Microsoft, está acontecendo agora, e Terry Myerson confirmou um rumor que circulava sobre a próxima versão do Windows: ele poderá rodar apps do Android – ou quase.

Na verdade, desenvolvedores poderão reutilizar quase todo o código Java e C++ de um aplicativo para Android e criar um app para smartphones rodando Windows 10. Para isso acontecer, celulares com Windows 10 terão um subsistema de Android.



Os desenvolvedores também poderão trazer apps do iOS (escritos em Objective-C) e convertê-los para rodarem no Windows 10. Você pega o código, elimina bugs e executa o app no Windows. Na verdade, o jogo Candy Crush Saga foi portado assim para o Windows Phone.

Tudo isso vai facilitar a conversão de apps em outras plataformas para o sistema da Microsoft.

Adobe Photoshop na Loja do Windows 10

A Loja do Windows 10 também terá programas tradicionais de desktop, mas com algo diferente: eles rodarão isolados do restante do sistema. Isso será feito através de virtualização, usando uma tecnologia chamada App-V.

Ou seja, haverá uma camada entre o programa e o sistema operacional, permitindo desinstalá-lo facilmente, e evitando conflitos com outros aplicativos. (Isso pode reduzir o desempenho, no entanto.) Myerson diz que 16 milhões de programas tradicionais (.NET e Win32) são usados todo mês.

A Loja também terá webapps, isto é, sites que são convertidos em apps. Não se trata apenas de rodar uma página web em uma janela própria: eles podem emitir notificações e até receber pagamentos in-app no Windows.

Todos os dispositivos com Windows terão suporte a “carrier billing”, ou seja, a realizar pagamentos em apps usando créditos do celular (no caso de pré-pago) ou descontando na próxima fatura (no caso de pós-pago). Isso já está presente no Windows Phone, e virá para PCs e tablets também.

Myerson prevê que, dentro de dois ou três anos, haverá um bilhão de dispositivos rodando Windows 10. Ele será uma atualização gratuita para quem usa o Windows 7, Windows 8 e Windows Phone.

Atualizado às 15h03