Após anos de advertências de que o YouTube está promovendo a radicalização política de toda uma geração, permitindo que conteúdos com teorias da conspiração prosperem em sua plataforma, o maior site de streaming de vídeo da internet parece finalmente mostrar um pouco de preocupação. Após o ataque de quarta-feira (6) por manifestantes ao Capitólio, o YouTube afirma que adotará uma abordagem menos indulgente com os usuários que espalharem desinformação.

A decisão de Donald Trump de incitar uma multidão de milhares de apoiadores a invadirem a sessão do Congresso que confirmou a eleição presidencial colocou as empresas de mídia social em pânico. A primeira resposta do YouTube foi remover um vídeo que o presidente norte-americano postou em que ele faz afirmações falsas sobre a eleição e elogia as pessoas responsáveis por um tumulto que deixou quatro mortos e constituiu a primeira invasão ao Capitólio desde a Guerra de 1812.

Agora, o YouTube diz que qualquer usuário que violar sua Política de Integridade das Eleições Presidenciais receberá um aviso automático em seu canal. O vídeo será removido e o usuário será impedido de enviar novos vídeos ou realizar transmissões ao vivo por uma semana. Se o usuário receber três avisos, ele será banido permanentemente da plataforma.

Em dezembro, o YouTube implementou sua nova política eleitoral em resposta à crescente fossa de desinformação alegando que as eleições foram fraudadas para prejudicar Trump. Originalmente, a política incluía um período em que os usuários receberiam um aviso antes que as punições fossem colocadas em prática. Esse período de aviso prévio estava planejado para expirar em 21 de janeiro, um dia após a posse do presidente eleito Joe Biden. Porém, em um comunicado de quinta-feira (7), a empresa disse que “devido aos acontecimentos perturbadores que ocorreram ontem, e dado que os resultados das eleições já foram certificados”, esse período será encerrado mais cedo.

Trump permanece em silêncio desde quinta-feira (7), embora sua suspensão temporária do Twitter já tenha expirado. O Twitter é sua plataforma favorita, mas a empresa avisou que se o presidente dos EUA violar suas políticas novamente, ele será banido permanentemente. Nas últimas 24 horas, também vimos Trump ser banido do Facebook indefinidamente, bloqueado do Snapchat e suspenso do Twitch.