Microsoft e Google se acertaram e o app do YouTube para Windows Phone finalmente voltou a ser disponibilizado com as mudanças pedidas pelo Google. E mais: agora dá para enviar vídeos diretamente do app. Mas pela forma com que o sistema lida com o envio em segundo plano, teria sido melhor se o app viesse sem o recurso.

O app oficial do YouTube, desenvolvido pela Microsoft, foi retirado da loja do Windows Phone depois que o Google reclamou de algumas… exclusividades. Duas coisas irritavam os executivos em Mountain View: a capacidade de baixar os vídeos para visualização offline e a ausência de anúncios.

A Microsoft sanou esses dois pontos e trouxe o app de volta à loja do Windows Phone quase três meses depois de tê-lo removido. E com uma novidade: suporte a upload.

Mas o que parecia um acerto, na prática se mostra como algo inviável e uma fonte de frustração. No app, o upload é gerenciado em segundo plano e, nesse contexto, entram em ação algumas restrições pesadas da plataforma. No Ars Technica, Peter Bright as descreve sucintamente:

“(…) apenas vídeos curtos (não mais que 5 MB) podem ser enviados via redes móveis [das operadoras]. Qualquer coisa maior que isso exige Wi-Fi. Pior, qualquer vídeo com mais de 20 MB exige Wi-Fi e que o aparelho esteja ligado na tomada. Qualquer vídeo com mais de 100 MB não é enviado de jeito algum.”

Se por um lado o envio em segundo plano abre espaço para que o usuário faça outras coisas durante o processo, ele impõe esses limites irrisórios — Bright diz que vídeos no Lumia 1020 consomem 3 MB por segundo.

Por toda a web se lê reclamações, e à Microsoft cabe duas saídas: tornar o upload exclusivo, ou seja, o envio fica livre de restrições, mas “travado” no app até que se termine; ou mexer nas entranhas do Windows Phone e mudar essas regras — o que seria mais trabalhoso, mas com resultados práticos mais interessantes.

O app do YouTube para Windows Phone é gratuito e pode ser baixado no link ao lado. [Loja do Windows Phone via Ars Technica]