A Amazon lançou um software que permite a seus usuários escanear e converter livros e documentos pessoais para a qualidade — e praticidade — dos e-books do Kindle. O Kindle Convert, como é chamado, mantém as características únicas do livro impresso, como notas escritas à mão, autógrafos, fotos e imagens e dá a eles a praticidade do livro digital, como controlar o tamanho da fonte do texto.

>>> 15 truques para você usar (de verdade) seu Kindle

Ele já está à venda na Amazon americana pelo preço promocional de 19 dólares (o preço final é de US$ 49), está disponível para as plataformas Windows 7 ou 8 e é necessário um scanner de mesa utilizá-lo.

Após convertidos, os arquivos podem ser lidos em qualquer aparelho ou aplicativo Kindle, disponível no iPhone, iPad e Androids. Os documentos adquirem as mesmas funcionalidades que os e-books comprados na Amazon Store: ajuste do tamanho do texto, marcações, anotações, uso do dicionário e arquivamento na Amazon cloud. O software funciona com qualquer scanner que produza imagens nas extensões .jpeg, .tiff or .pdf, com 300-600 DPI e escala de cores em cinza e preto e branco.

O programa pode ser útil para quem já tem um livro físico e pensava em comprar a versão digital, seja para manter a versão impressa nova em folha ou por pura praticidade de carregar o livro por aí (estou olhando para vocês, leitores do Graça Infinita). Mas para transformar o livro físico em digital, é preciso paciência e (muito) trabalho braçal: é obrigatório o uso de um scanner de mesa, o que significa copiar apenas duas páginas por vez.

Depois disso, o bravo leitor precisa identificar todo o texto. De cada página. E títulos e subtítulos. Só depois de tudo isso é que o livro impresso se torna um e-book com todas as funcionalidades e praticidades da era digital. O trabalhão talvez seja válido para quem tem livros antigos que dificilmente serão digitalizados por editoras ou para documentos pessoais. Agora, para livros já disponíveis digitalmente, gastar um pouco mais vai ser muito mais prático (e rápido).

Além disso, a Amazon já permite a seus usuários enviar arquivos pessoais para o Kindle. No entanto, a função não converte  estes arquivos em e-books (permitindo aumentar e diminuir a fonte do texto, por exemplo), apenas faz deles imagens digitais, o que, para alguns, talvez seja mais que o suficiente.

A Amazon trouxe o Kindle ao Brasil em meados de 2012 e, hoje, possuí três modelos disponíveis no mercado: o Novo Kindle, o Kindle Paperwhite e o Paperwhite 3G. Ela também lançou o Kindle Unlimited, uma espécia de “Netflix para livros” em dezembro de 2014 no Brasil. Ainda não existe previsão de lançamento do Kindle Convert no país, de acordo com a assessoria de imprensa da marca no Brasil.