Ontem falamos sobre os 45.000 testes da Blaze Software nos navegadores do iPhone e do Android, que concluíram que o browser do Android é 52% mais rápido. Mas há uma grande falha nestes testes. Como explica a Apple:

“Na verdade, eles não testaram o navegador Safari no iPhone”, nos disse a porta-voz da Apple. “Em vez disso, eles testaram apenas o app proprietário deles que usa um visualizador web embutido.”

No iPhone, os apps não podem renderizar páginas usando diretamente o navegador: eles têm uma versão especial do browser que podem acessar, chamado UIWebView. Era de se esperar que o navegador e o UIWebView fossem equivalentes, mas não é o caso: segundo a Apple, “o visualizador web embutido não tira vantagem das otimizações de desempenho na web do Safari”.

Ou seja, o navegador do Safari é mais rápido que a versão testada pela Blaze, e a diferença de 52% no desempenho na verdade deve ser bem menor.

Mas por que a Apple usa duas versões diferentes do navegador, uma para o usuário e outra à qual os apps têm acesso direto? John Gruber, do Daring Fireball, acredita que isso tenha a ver com segurança: a nova engine JavaScript do iOS 4.3 requer acesso mais direto à memória RAM do aparelho, para renderizar as páginas mais rápido – o que potencialmente deixaria o sistema mais exposto a exploits de segurança. (Gruber lembra que o Android provavelmente não possui essa limitação.)

A Blaze já emitiu resposta, dizendo que “mantemos a afirmação de que o navegador embutido do Android é mais rápido que do iPhone”, e que “até onde sabemos as otimizações faltantes podem não ter um impacto grande”. Mas, claro, eles esperam que a Apple libere a nova versão do Safari para uso direto pelos apps – afinal, imagino que fazer 45.000 testes de velocidade um a um, em vez de automatizar através de um app, não é exatamente viável. [Blaze Software via The Register e Daring Fireball]