Fisioterapia muitas vezes envolve o uso de um dispositivo subcutâneo de estímulo elétrico de nervos (TENS, na sigla em inglês) que usa eletrodos ligados à pele para estimular os músculos abaixo. Mas pesquisadores de realidade virtual descobriram um uso alternativo para a tecnologia de choque: fazer alguém em um mundo virtual sentir paredes que não existem.

• Nossos corpos não estão prontos para a realidade virtual
• O Project Alloy da Intel tem uma das melhores experiências de realidade virtual

O corpo humano já usa sinais elétricos para ativar grupos de músculos através do corpo, permitindo-nos andar, levantar coisas e fazer outras atividades físicas. Pesquisadores do Human-Computer Interaction Lab (HCI), no Hasso-Plattner Institute, na Alemanha, levaram a ideia um passo além, criando um sistema que usa estímulo elétrico de músculos para simular a sensação de esbarrar em uma parede ou levantar um objeto pesado que não existe, para usuários experimentando um mundo virtual.

Além de usar um headset de realidade virtual e luvas contendo marcadores de rastreamento que permitem à configuração saber exatamente onde alguém está se movendo em um espaço virtual, os usuários também vestem um estimulador elétrico de músculos e um computador em uma mochila. Eletrodos ligados à pele do usuário ativam os músculos de seus braços, fazendo os membros se contorcerem e se moverem sozinhos quando tocam ou esbarram em uma parede no mundo virtual.

q0vxvmomfgage0htengf

Foto cortesia de Pedro Lopes

A nova abordagem para o estímulo háptico e simulação de força pode também simular a sensação de levantar um objeto virtual. Enquanto o usuário estende o braço para segurar ou mover um objeto, grupos musculares opostos no braço são ativados para ele sentir como se houvesse resistência, como se o objeto fosse pesado e estivesse sendo puxado para baixo pela gravidade. Quanto maior o estímulo elétrico aplicado, mais pesado parece o objeto virtual.

É uma abordagem inovadora para ligar o mundo virtual com o real, mas esses complicados sistemas também servem para deixar a realidade virtual menos acessível. Jogar um videogame no seu console em casa envolve apertar alguns botões para dar sinais para a sua TV e sistema, mas ligar esse sistema de realidade virtual requer muito equipamento, além de grudar os eletrodos que precisam ser aplicados à pele. Sem mencionar que aquelas pessoas que já ficam enjoadas com a realidade virtual podem não achar que acrescentar choques elétricos à equação vá melhorar a experiência.

[Pedro Lopes Research via Motherboard]