Foram necessários mais de 900kg de explosivos para derrubar esta torre de 32 andares em Frankfurt, na Alemanha – quase o mesmo de uma bomba Mark 84. E, felizmente, como vivemos na era do YouTube, podemos ver diversos vídeos mostrando o processo.

Uma implosão controlada como essa é bem mais difícil do que parece. Ela exige um planejamento cuidadoso para derrubar um edifício enorme como esse sem que prejudique outras partes da cidade. Nas semanas anteriores à implosão, o edifício recebeu 1.500 buracos – cada um cuidadosamente preenchido com explosivos, calculados para derrubar o prédio em diversas fases distintas.

19ejm6n1pimoljpg

O resultado final? O prédio caiu para dentro para que a coleta do entulho fosse feita no seu centro, como o HowStuffWorks explica:

Os engenheiros de demolição configuram os explosivos para que cada “torre” caia em direção ao centro do edifício, mais ou menos da mesma forma como eles definiriam os explosivos para derrubar uma única estrutura para o lado. Quando os explosivos são detonados na ordem correta, as torres quebram umas contra as outras, e então todo o entulho é coletado no centro do prédio.

Antes da implosão, a torre acolheu diversos departamentos da Universidade Johann Wolfgang Goethe. Construída com o florescimento (ou a ausência dele) do brutalismo clássico dos anos 1960, era por todas as contas um prédio terrível desde o início. Superlotado, muitas vezes a fila de espera por um elevador chegava a 20 minutos. Em 2005, uma mulher morreu quando ficou presa entre andares. A decisão de demolir o prédio parece ser parte daqueles raros casos em que todo mundo concordou – você pode ouvir a multidão comemorando nos vídeos.

A imagem e o som da explosão foram intensos – mas estes, também, foram rigorosamente controlados. Os engenheiros explodiram vasilhas de água juntamente com os explosivos, o que ajudou a controlar tanto as ondas sonoras quanto a enorme poeira resultante do processo. [Deutsche Welle]