Filmes clássicos como “Cães de Aluguel”, “Top Gun – Ases Indomáveis” e “Quanto Mais Idiota, Melhor” empregam câmera lenta para impacto emocional. Agora que câmeras e telefones da Casio, da Samsung, da JVC, da LG e da Ricoh oferecem slow motion, amadores podem lidar com esse poderoso recurso.

 
Primeiro, como a câmera lenta funciona

Entender o princípio básico da câmera lenta é de grande ajuda tanto para seguir quanto para se submeter às regras do formato. O efeito tem suas origens no overcranking – nos primórdios do cinema, operadores de câmera literalmente rodavam o filme ao gravar uma cena. Ao girar o carretel do filme mais rápido, posteriormente os filmes eram projetados mais lentamente.

Por quê? É aqui que chegamos à premissa básica da câmera lenta. O slow motion faz a captura de várias figuras rapidamente – ao menos 120 imagens por segundo, frequentemente 300 ou mais. Mas o vídeo é tipicamente reproduzido a 24-30 quadros por segundo (FPS), taxa “amigável” ao olho humano.

Então, quando aquelas 300 imagens rápidas são reproduzidas a uma velocidade agradável ao seu olho (24-30 FPS), há um grande excesso de imagens. As 300 imagens podem ter sido gravadas em apenas um segundo de filmagem, mas a sua exibição na tela demorará dez segundos (a 30 FPS) – nasce a câmera lenta.

Embora o vídeo digital tradicionalmente tenha dificuldade em capturar os altos frame rates necessários para o slow motion de verdade, muitas câmeras novas funcionam exatamente como o overcranking, gravando centenas de imagens com resolução mais baixa por segundo. As dicas aqui abrangem câmeras e camcorders capazes de frame rates altos – não apenas câmeras da Casio, mas camcorders da Samsung e da JVC, uma câmera da Ricoh vendida apenas no Japão e o telefone-câmera LG Viewty. Isto não é sobre desacelerar gravações capturadas em velocidades regulares usando algum tipo de editor de vídeo.

 
1. Use bastante luz

Ao gravar em câmera lenta, você captura muitas imagens rapidamente. E ao capturar rapidamente, a luz tem menos tempo para criar cada imagem na sua câmera. Grave sob muita luz, ou você terá slow motion escuro e sombrio.

Em outras palavras, isso significa que aquela gravação em velocidade superalta pode não funcionar em ambientes internos. Com a Casio EX-F1, por exemplo, você pode gravar a 300 FPS em lugares fechados, e talvez a 600 FPS se ficar próximo a uma janela, mas não consegue usar a configuração de 1.200 FPS sem adicionar uma luz forte. Pela mesma razão, gravações noturnas podem muito bem ser descartadas, a depender do seu equipamento particular e do que você exatamente espera da imagem em termos de detalhe – coisas artísticas podem ficar boas, mas não espere filmar um beija-flor sob o suave brilho da Lua.

 
2. Fique de olho nos FPS

Como consta acima, o slow motion não funciona muito bem em sistemas de câmeras não projetados para isso desde o início. Então se a sua câmera grava vídeos a apenas a 24 FPS ou 30 FPS, o efeito será meramente improvisado por qualquer software de edição que você usar. (Ficará uma droga.) Isto aqui é sobre capturar a vida que você normalmente não pode ver: o movimento das asas de um inseto, o estouro de uma bolha de água, a microexpressão fugaz de alegria ou dor no rosto de uma pessoa complacente.

Escolher o frame rate correto para o seu tema é de vital importância. Eis alguns exemplos para você ter uma ideia:

120 FPS: Slow motion mais básico, apenas um quarto da velocidade da vida real; é a velocidade normalmente usada em replays de esportes

300 FPS: Bom para slow motion com narração, como cenas de caminhada e de amor e exibição de masculinidade (vide o já mencionado “Top Gun”)

600 FPS: As bases da pornografia em câmera lenta; movimentos humanos tornam-se menos narrativos, mais anatômicos

1.000 FPS – 1.200 FPS: Motivos humanos movimentam-se muito lentamente para essa taxa; agora você está em modo de explosão; 1.200 FPS é o mais rápido que a Casio EX-F1 pode gravar

5.000 FPS – 10.000 FPS: Explosões causadas por balas, cacos de vidro surgindo e flutuando no ar… e você pode ver o design intricado de relâmpagos; câmeras compradas em lojas por aí não podem fazer isso – ainda

 
3. Pense além da estabilização

É sempre melhor gravar com um tripé para claridade ideal, mas se há uma hora em que você pode realmente estender a sua imaginação em gravação de vídeo, é no slow motion. Como você está capturando muitos quadros em um espaço limitado, você pode tirar vantagem do prolongamento do tempo para fazer o vídeo parecer mais estável.

Assim, você não apenas pode gravar a maioria dos vídeos em câmera lenta sem um tripé, mas pode até arremessar sua câmera no ar para tentar aquela tomada maluca. Pode não rolar, e você talvez queira pôr sua câmera no seguro antes, mas por que não testar seus limites? Estamos falando de 300 a 1.200 quadros por segundo. É um grande espaço para improvisação.

 
4. Compense os efeitos colaterais da câmera lenta

O ponto negativo de gravar em câmera lenta é que você quase sempre fica com mais imagens do que precisa. Lembre-se, seis segundos de gravação a 300 FPS produzem um minuto de vídeo; a 600 FPS, dois minutos. Algumas câmeras permitem que você corte seu clipe, e você deve tirar vantagem disso para liberar memória desperdiçada.

Outro problema é a proporção da imagem. Quanto maior o frame rate na Casio EX-F1, menor e mais estreita é a resolução. A 1.200 FPS, você fica com tiras de vídeo de 336 x 96 pixels. Para compensar isso em seu vídeo de Mentos com Diet Coke, nosso amigo Robert Woodhead juntou quatro vídeos orientados verticalmente no Final Cut.

O último problema com o slow motion é o som: não há. Essa é a razão pela qual você frequentemente ouve música tocando nos clipes. Não é necessário adicionar música, embora Tarantino claramente curta essa parte.

Enfim, a realidade sobre gravação em câmera lenta é que ela é surpreendentemente simples de fazer com o equipamento de hoje – não necessariamente mais difícil do que vídeo normal, se você gravar com luz o bastante. Até que esse meme termine (e em nosso livro, isso não ocorreu), saia por aí e grave com confiança. É um interessante instrumento artístico que foi democratizado ao público. Que se inicie a putaria, pois.

 
Câmeras, camcorders e telefones com slow motion

Casio Exilim EX-F1
Casio Exilim EX-FH20
Casio Exilim FC-100 and FS-10
JVC Everio X
Samsung HMX20
Ricoh CX1
LG Viewty