No Facebook, mais de 90% da receita vem de anúncios. A maioria deles são personalizados de acordo com o que você curte na rede social. Mas hoje, a empresa avisou que passará a agir como o Google, e ficará de olho nos sites que você visita para personalizar seus anúncios.

Isso começa em breve nos EUA, mas o Facebook diz: “estamos trabalhando duro para expandir isso globalmente nos próximos meses”.

Anúncios personalizados funcionam através de cookies, pequenos arquivos que guardam um número de identificação: eles permitem saber quais páginas você visitou, para entender melhor seus gostos pessoais e direcionar anúncios. É isso que o Facebook vai usar:

Digamos que você esteja pensando em comprar uma TV nova, e comece a pesquisar por TVs na web e em apps móveis. Nós podemos mostrar anúncios de ofertas de uma TV, para ajudar você a obter o melhor preço ou considerar outras marcas. E como nós achamos que você está interessado em equipamentos eletrônicos, podemos mostrar anúncios de outros equipamentos eletrônicos no futuro, como alto-falantes ou um console de jogos para ligar na sua nova TV.

Quem não quiser essa personalização terá que ir ao site da Digital Advertising Alliance para fazer isso. Nos apps para iOS e Android, haverá controles para tanto.

facebook ad preferences

Estes apps também vão ganhar a área “preferências de anúncios”, onde você poderá adicionar e remover interesses pessoais, para receber anúncios mais personalizados – é algo que o Google oferece há algum tempo. O Facebook também vai explicar por que você está vendo determinado anúncio (“a empresa quis atingir pessoas interessadas em TVs”, no exemplo acima).

Este recurso estará disponível inicialmente nos EUA nas próximas semanas. Dado que as propagandas são o ganha-pão do Facebook, e anúncios personalizados rendem mais dinheiro, isso deve chegar a mais países em breve. [Facebook]

Foto por Spencer E Holtaway/Flickr