O programa espacial brasileiro sofreu mais um revés. Na sexta-feira (13), um foguete explodiu durante a ignição na base de Alcântara, no Maranhão – a mesma onde ocorreu nosso maior acidente espacial em 2003.

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) diz que uma falha no motor do foguete VS-40M V3 causou uma explosão na plataforma. O veículo não chegou a decolar. Felizmente, ninguém ficou ferido.

A missão iria testar o Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA), que permitiria a pesquisadores brasileiros realizar estudos em ambiente de microgravidade por até 10 dias.

O foguete também estava levando um experimento da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte): um receptor GPS que informa com precisão o local e a velocidade de um foguete ou satélite no espaço. Trata-se de uma versão simplificada do Sistema de Navegação (Sisnav), que será usado no principal foguete brasileiro, o Veículo Lançador de Satélites (VLS-1).

Infelizmente, com a explosão, os equipamentos foram destruídos. Uma comissão técnica vai apurar as causas do incidente.

O lançamento do foguete era a última fase da Operação São Lourenço, principal atividade de lançamento espacial prevista para este ano no Brasil. Ela começou em fins de outubro, e contava com técnicos, engenheiros e militares brasileiros, além de especialistas da Agência Espacial Alemã (DLR) e do Centro Espacial da Suécia (SSC).

Segundo a AEB (Agência Espacial Brasileira), o VS-40 já foi lançado duas vezes no Brasil no CLA (em 1993 em 1998) e uma vez na Noruega, em 2012.

Embarque (1)-menor
VS40 e equipamentos da Operação São Lourenço saindo de São José dos Campos em outubro (Divulgação/IAE)

Vale notar que diversos foguetes brasileiros foram lançados com sucesso este ano – porém nenhum deles no Brasil. Eis a lista:

19 de outubro: foguete VS-31/IO V02 é lançado com sucesso na Suécia

2 de outubro: foguete VS-31/IO V01 é lançado com sucesso na Suécia

30 de junho: foguete VSB-30 V24 é lançado com sucesso na Suécia

27 de abril: foguete VSB-30 V21 é lançado com sucesso na Suécia

23 de abril: foguete VSB-30 V18 é lançado com sucesso na Suécia

30 de março: foguete VSB-30 V13 é lançado com sucesso na Suécia

5 de março: foguete VS-30 V11 é lançado com sucesso na Suécia

22 de fevereiro: foguete VSB-30 V20 é lançado com sucesso na Suécia

20 de fevereiro: foguete VS-30/IO V11 é lançado com sucesso na Noruega

A AEB vem sofrendo sucessivos cortes de orçamento. Em 2014, a agência tinha inicialmente um limite máximo de R$ 300 milhões, que foi posteriormente reduzido para R$ 260 milhões pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Em 2015, o orçamento sofreu corte mais uma vez: foi de R$ 300 milhões para R$ 230 milhões.

Para comparar: o orçamento planejado para o programa espacial da Índia é de quase R$ 3 bilhões para 2014 e 2015. (A agência indiana ISRO enviou uma sonda para Marte no ano passado.)

Enquanto isso, no Brasil, fica o sentimento de frustração. Aydano Carleial, presidente da Associação Aeroespacial Brasileira e ex-diretor do programa de satélites do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), disse ao portal Terra no ano passado:

Os projetos de engenharia espacial do governo em geral arrastam-se anos a fio sem perspectiva de conclusão com sucesso. Como não se reformou a organização do Estado para o setor nem se estabeleceu ainda uma nova estratégia com forte apoio político (permanece o marasmo), o momento atual do desenvolvimento espacial brasileiro é de frustração.

[G1 e Estadão]

Primeira foto: foguete VS-40M V03 na rampa de lançamento no CLA/Divulgação/FAB

Atualizado às 14h19