Windows 7 é o que o Vista deveria ter sido, ou pelo menos o que a gente queria que ele fosse. Vai ser como o "Batman Begins" foi para o "Batman e Robin". Enquanto aparentemente ambos são a mesma coisa (Batman), na verdade são approachs completamente diferentes de sistemas operacionais. Vamos mostrar agora o que está debaixo do capô e que permite uma experiência mega-bacaninha para tirar tudo possível do sistema e como ele vai acertar o Vista na boca do estômago.

A Microsoft não tem vergonha em assumir que o 7 é capaz de matar o Vista. Na PDC (Professional Developers Conference, evento da Microsoft para desenvolvedores) , o chefe do departamento de performance do Windows, Gabriel Aul, descreveu de forma simples em uma apresentação entitulada "Elevando o Nível:"
 

  • Se uma aplicação ou periférico roda no Vista, deve rodar no Windows 7.
  • Se uma máquina roda Windows Vista, deve rodar mais rápido ainda o Windows 7.
  • As baterias dos notebooks devem ter maior duração no Windows 7.
  • O Windows 7 será mais confiável que o Vista SP1 desde o primeiro dia.
     

É isso aí, o novo sistema operacional da Microsoft tem uma interface mais amigável, graças aos elementos fashion como os menus transparentes, uma barra de tarefas totalmente remodelada e alguns ajustes. Baseada simplesmente baseado no bom senso, admiravelmente a Microsoft copia aqui a Apple – a próxima versão do Windows vai rodar mais rápido do que o anterior, algo totalmente novo para a Microsoft. Isso vai rolar porque finalmente a prioridade desta versão será cuidar do que acontece por trás das câmeras enquando você fica de queixo caído com as novidades na interface, que ao mesmo tempo é linda e útil. Por exemplo, o gerenciamento de de memória por janela do Vista aloca a mesma quantidade de RAM para toda a janela que você abre: não interessa quantas janelas estejam abertas, agindo como se cada uma delas estivesse visível e em tela cheia, mesmo se você tiver minimizado ou então deixado ela atrás de todas as outras. Isso consome um monte de memória, principalmente se  você, como eu, deixa um monte de janelas abertas O gerenciador de memória por janela do Windows 7 não faz isso – só as janelas visíveis utilizam os recursos de vídeos. Isso quer dizer que você realmente pode rodar o Windows 7 com 1 GB de RAM – ao contrário do Vista, onde tendo menos de 2GB é completamente retardículo.
 

Windows 7 também é mais crânio quando se trata de aplicacações problemáticas, que travam de maneiras diferentes. Provavelmente a que soa mais impressionante – apesar de termos que ver como vai funcionar pra valer na hora do "vamos ver"- é a application crash resiliency (resiliência de travamento de aplicativos). Se um aplicativo travar mais de uma vez, Windows 7 aprende como deve rodar o aplicativo para evitar o motivo em particular do travamento. Além disso, o relatório de erros é realmente útil: O Problem Steps Recorder (Gravador Passo-a-Passo de Problemas) observa o que você fez para causar o erro – se você conseguir repetir o erro depois de ligar o gravador, claro – e gera um relatório detalhado e útil em uma língua que parece com a sua! E o 7 só pratica o sexo seguro básico – os drivers problemáticos são sandboxed (forma de rodar o driver em um ambiente protegido), assim a sujeira dele não infecta outros aplicativos. Tendo aprendido a lição, a Microsoft está trabalhando com os fabricantes de hardware para que todos os updates de drivers sejam feitos pelo Windows Update em vez, vamos dizer, daqueles sites de terceiros que são uma confusão monumental para se achar qualquer coisa.

Nenhuma das maravilhas do Windows 7 importa se o sistema se tornar uma pedra para os notebooks carregarem. O gerenciamento de energia do Vista é definitivamente melhor que o do XP, e o do Windows 7 é melhor ainda. Parte responsável por isso nada mais é que o gerenciamento de background inteligente, onde que faz maravilhas para a carga da bateria, como diminuir a utilização do processador mais regularmente, usar menos energia para tocar DVDs de definição padrão, desliga sua rede ethernet se não estiver sendo utilizada, ou seja, nada mais que o bom senso pede. Mas ele não faz todo essa parada de economia de energia ninja sem você saber (apesar que se você quiser, pode). Windows 7 é capaz de gerar um relatório de eficiência de bateria que detalha minuciosamente o que está devorando sua bateria – seja um hardware faminto ou algum processo vampiresco, não interessa o que seja.

Tudo isso reflete na nova mentalidade onde a experiência geral do usuários parece ter sido deixada de lado no Vista, por alguma razão desconhecida. O Vista estava engrenando para uma mudança de Sistema Operacional. Se a Microsoft realmente entregar o que ela mostrou e está prometendo para o Windows 7 – e  todos os sinais apontam nesta direção – eles finalmente terão um sistema operacional com coração e alma, mesmo que esteja usando a mesma marca de roupa dos antigos.


[UPDATE: Leiam também as nossas primeiras impressões do Windows 7, com fotos e vídeos do sistema.]