O Toshiba Thrive era grande e pesado. O Thrive 7 queimou algumas gordurinhas, mas ainda era rechonchudo. É por isso que ficamos tão surpresos quando batemos os olhos na nova série Excite e tivemos a reação de “Opa, legal! Espera, vocês não comem!?”

São três novos tablets Excite: um de 7,7″, outro de 10″ e um de 13″. Sim, você leu certo. Tela de TREZE polegadas. Eles são muito finos. A Toshiba abandonou o acabamento emborrachado da traseira por um alumínio reforçado e vistoso e agora as telas são Gorilla Glass. Estão lá também todas as portas que você esperaria de um tablet da Toshiba: Micro USB, Micro HDMI e Micro SD (com exceção do de 13″ que vem com um slot SD de tamanho convencional). Eles passam a sensação de serem bons e resistentes. Todos trazem o ligeiro quad-core Tegra 3, da NVIDIA, a 1,3 GHz, 1 GB de RAM e Android 4.0 Ice Cream Sandwich. No pouco tempo que tive com esses tablets, não vi sequer por um momento travadas e lentidão. Bom!

Características mundanas à parte, o de 7,7″ é provavelmente o mais interessante dos três. O seu maior chamariz é a tela de AMOLED (1280×800), ainda bastante incomum em tablets. Ela é muito boa, uma tela brilhante com cores ricas e pretos super profundos. Com apenas 349g, é o tablet mais leve que já vimos e os 0,88cm de espessura o coloca entre os mais finos também.

Alô? Ligações com o Excite 13.

Aquele para o qual seus olhos serão levados, porém, é o de 13″. Não dá para não notar. Seu campo de força gravitacional atrai seus olhos para si. É apenas, você sabe, gigantesco para um tablet. O lado bom: ele vem com um suporte, então deve ser bem bacana assistir a filmes nele. O lado ruim: ele não parece exatamente portátil. É pesado, e seu aspecto 16:9 o faz ficar esquisito nesse tamanhão. A Toshiba elevou a resolução para 1600×900, mas não chega nem perto da densidade de pixels (PPI) do novo iPad e, nesse tamanho, os pixels são visíveis. E tem mais: mesmo com o brilho no máximo a tela ainda fica um tanto escura.

O filho do meio é o de 10″. Não é ruim, mas não é especial. A maior atração é o quão leve e fino ele é para um tablet de 10″: 598g e 0,88cm, respectivamente. Isso é ótimo. O que não é excepcionalmente boa é a tela — é o pior dos dois mundos. Ela tem a a tecnologia de tela escura e menos atraente do modelo de 13″, combinada com a resolução de 1280×800 pixels do de 7,7″ (eles são apenas mais esticados). O resultado é uma tela escura com pixels bastante visíveis.

O Excite 10 estará disponível, lá fora, na primeira semana de maio, começando em US$ 450 pela versão de 16 GB. O de 7,7″ será lançado na primeira semana de junho, mas estranhamente custará US$ 50 mais caro que o irmão maior, chegando por US$ 500 (16 GB). Geralmente tablets maiores custam mais, então imagino que a tela de AMOLED não seja muito barata. Por último, também disponível na primeira semana de junho, o de 13″ começará em US$ 650 na versão de 32 GB. Nosso primeiro impulso era zombar de telas gigantes, mas daí veio a Samsung e começou a vender um montão de Galaxy Notes, então talvez haja algum fenômeno com gadgets realmente grandes. Ou não.