Esculpido como um bloco sólido de alumínio, a mais nova sensação da HTC é o One, também conhecido pelo codinome M7. A companhia anunciou hoje em Nova York que este é o seu mais novo aparelho de topo de linha. E, como já é de costume para a empresa, o One tem algumas novas funções de software que o diferenciam do resto.

Ele tem tudo o que você espera de um smartphone recém-lançado: processador Snapdragon 600 quad-core com 1,7GHz, 32 ou 64GB de armazenamento interno, 2GB de RAM, Bluetooth 4.0, NFC, LTE e uma bateria de 2300mAh. A tela é impressionante: tem 4,7 polegadas e resolução 1080p: fazendo as contas, dá 468 pixels por polegada. Mas tudo isso é pouco quando você descobre que ele vem com Android 4.1.2 na nova versão do Sense, a customização da HTC para o sistema operacional do Google. E o One ainda tem uns truques na manga bem interessantes.

Assim como o Nexus One, o HTC One é feito de um bloco sólido de alumínio: me disseram que leva 200 minutos para esculpir cada um dos monoblocos. Ele parece bem robusto, como o Lumia 920, mas é surpreendentemente leve, além de frio, o que me agradou bastante. Ele pesa 143 gramas e a traseira, que vai diminuindo, faz com que ele seja mais fácil de se manusear também. O HTC One decididamente parece um dispositivo premium.

A coisa mais interessante do One é a câmera de 4 megapixels. Sim, você leu certo. Bem, de acordo com o pessoal do marketing da HTC, não são megapixels, e sim UltraPixels: cada um deles captura até 300% mais luz. As demonstrações mostram que os pixels maiores impressionam muito – muito mesmo – em pouca luz, mas nós vamos esperar para testar e julgar a novidade. Pelo menos em teoria, a HTC está certa: megapixels não importam. Um ImageChip 2 dedicado ajuda a melhorar o talento das lentes f/2.0, que, de acordo com o que disseram, simula uma lente normal de 28mm. Eu testei o dispositivo por alguns minutos na semana passada, e a qualidade das fotos parece muito boa – mas não dá para dizer isso com muita certeza olhando as imagens no próprio aparelho. Nós não temos os detalhes de como a tecnologia funciona, mas parece ser algo semelhante ao sensor de “46 megapixels” da Sigma, que na verdade é composto por três sensores de 15,4MP sobrepostos — um para vermelho, outro para verde e um terceiro para azul.

Outra função notável da câmera é o Smart Flash, que escolhe automaticamente entre cinco configurações de flash diferentes, dependendo da distância do objeto que está sendo fotografado. E se você curte HDR, o One faz isso também, inclusive em vídeos.

1

A nova função mais visível, no entanto, é uma tela inicial redesenhada para seu smartphone, que a HTC chama de BlinkFeed. Mais que uma tela customizada que você encontraria normalmente num Android, você tem um conjunto de feeds da web, além da temperatura e das horas, organizados de forma semelhante ao Flipboard. Você pode escolher entre vários conteúdos, incluindo Twitter, notícias da ESPN ou de sites específicos. Talvez você ame, talvez você odeie.

Além dos UltraPixels, outra novidade da câmera é chamada de HTC Zoe e Zoe Share. Com o Zoe ligado nas configurações da câmera, você pode gravar um vídeo de três segundos (em Mpeg) e extrair apenas o frame que você quiser usar como foto. Você também pode fazer upload do vídeo e compartilhá-lo através do Zoe Share, que gera um link compartilhável e leva a uma página HTML5. Ainda não dá para dizer se isto funciona como o Vine ou não.

2

O Zoe Highlight é outra função que compila e edita imagens da câmera e do Zoe de acordo com certos fatores, como localização, hora, data e reconhecimento de imagem. Ele faz isso automaticamente, já que a HTC foi esperta e se tocou que você nunca iria fazer isso sozinho. O que você consegue com isso é um filme com uma música de fundo e um filtro, que a HTC espera que você mostre para seus amigos e familiares. Há cerca de seis temas diferentes para escolher. Parece bem cafona, mas tenho certeza que muita gente vai adorar.

Na saída de áudio, o BoomSound aumenta o volume e deixa o som dos alto-falantes mais limpo que em modelos anteriores, de acordo com a HTC. Ele também mostra as letras da música em tempo real enquanto você ouve a música, para um karaokê improvisado que você vai usar uma ou duas vezes quando pegar seu One — mas ainda assim é bem legal. A gravação de vídeos em HDR com dois microfones permite que você capture bem o áudio enquanto filma. Ele captura um espectro mais largo de som e avalia os diferentes sinais.

3

E, para sua TV, há o HTC Sense TV, que transforma o One num controle remoto e set-top box. Escondido do lado do botão de liga/desliga está um pequeno sensor de infravermelhos, o que eu achei um trabalho bem inteligente do setor de design. Além disso, você pode conectar o One a 10 diferentes combinações de TV e set-top box e navegar listas locais graças ao Peel.

O One chega no fim de março a 185 países, mas não ao Brasil, infelizmente – a empresa não tem mais representação no país. [HTC]