Quando o Grande Colisor de Hádrons caiu pela primeira vez, acreditava-se que alguns reparos poderiam fazer o sistema voltar a funcionar lá pra abril de 2009. Daí vimos este prazo ser empurrado mais pra metade do ano. Mas agora, o CERN chegou a uma bifurcação quanto aos reparos do LHC.

De acordo com o porta-voz James Gillies, os complicados reparos podem ser simplificados em modestas abordagens de Plano A e Plano B.

O Plano A é um “reparo” rápido e sujo, fazendo o acelerador de partículas funcionar o mais rapidamente possível (lá pra setembro de 2009) ao custo de operar com uma potência mais baixo. Neste cenário, 3 dos 8 segmentos de alívio de pressão são substituídos (somente os danificados) com os outros 5 sendo atualizados em datas de manutenção não divulgadas no futuro.

O Plano B é uma abordagem mais extensa, porém mais demorada, exigindo um redesenho completo e a substituição de todo o sistema de alívio de pressão do LHC. Sob este cenário, o LHC não volta à ativa antes de 2010, porém nesta data ele já poderia voltar a toda potência.

Quanto a agora, a equipe está avançando com o Plano A com o intuito de obter dados o mais rapidamente possível. Como não temos absolutamente nenhuma maneira de saber qual abordagem é a melhor, nós vamos simplesmente ter que aprovar o que os gênios físicos malucos decidirem. [DailyTech]