Existe um mistério arqueológico de dois mil anos preservado no sul do Peru: são imagens enormes desenhadas no deserto, feitas por artistas anciões desconhecidos. As belas Linhas de Nazca retratam pássaros, macacos e humanos; algumas das obras passam de 350 metros. E um cara simplesmente dirigiu sobre elas com seu caminhão.

• Google Earth revela ruínas antigas na Arábia Saudita
• Pedaço de crânio ancião pode ter pertencido a primeira vítima conhecida de um tsunami

De acordo com a CNN:

Jainer Jesus Flores Vigo, 40, foi preso por ignorar o sinal de aviso e dirigir sobre o Patrimônio Mundial estabelecido pela UNESCO, disse o ministro.

E de acordo com a NPR:

O jornal argentino Clarín noticia que o motorista disse que não sabia da área, uma vez que nunca passou por ali e que ele acabou abandonando a pista por problemas mecânicos. O jornal especula que o motorista saiu da Rodovia Panamericana para evitar um pedágio.

Flores Vigo deixou marcas de pneu em uma área equivalente ao tamanho de um campo de futebol dos geoglifos, danificando-os. As autoridades peruanas o liberaram, já que não obtiveram evidências de que ele fez tudo isso de propósito. Eles compartilharam uma imagem do dano no Twitter:

Artistas das sociedades peruanas pré-hispânicas entre 500 a.C. e 500 d.C. criaram os desenhos gigantes ao remover pedras avermelhadas onipresentes na região e descobrindo o chão esbranquiçadas por baixo., de acordo com a UNESCO. O ambiente seco de deserto permitiu que as marcas ficassem lá por dois mil anos.

Esta não é a primeira vez que a estupidez leva alguém a danificar as linhas. O Greenpeace realizou uma ação em 2014 na qual colocaram grandes pedaços de panos amarelos nas linhas. Eu ignoro os carinhas do Greenpeace nas ruas desde então.

Se você estiver no sul do Peru, se mantenha na estrada. Por favor.

[NPR, CNN]

Imagem do topo: AP