Ursos pardos, cães e até baratas peidam. E anêmonas do mar? Não. Quanto às aranhas, ninguém sabe.

O novo livro de Daniella Rabaiotti e Nick Caruso, Does It Fart? (“Ele peida?”, em tradução livre), é ilustrado por Ethan Kocak e foi lançado nesta terça-feira (3) nos Estados Unidos. O livro lista uma série de animais, responde a pergunta do título e oferece algumas informações sobre a digestão animal. Como muitas ideias bestas, tudo começou com um tuíte — mas a gente promete que é tudo muito científico.

(“Um membro da minha família me perguntou outro dia se as cobras peidam, e eu não sabia a resposta para a pergunta. E então, elas peidam?”)

“Existe muita coisa que não sabemos sobre peidos de animais, e isso significa muita coisa que não sabemos sobre a digestão animal”, disse Rabaiotti, doutoranda na University College London e daSociedade Zoológica de Londres, em entrevista ao Gizmodo. “Esperamos que (o livro) seja uma maneira leve de aprender muita coisa legal que talvez você não soubesse sobre animais.”

O livro começou com o tuíte de Rabaiotti, que logo se tornou uma planilha editável com a ajuda de Caruso, uma hashtag (#DoesItFart) e até mesmo uma matéria no Gizmodo. Mas isso é um livro, o que significa que, bem, é mais do que um tuíte. Por exemplo, você sabia que:

Baleias-azuis soltam grandes peidos, provavelmente os maiores em volume entre todas as espécies. Mas essas ejeções só foram capturadas por uma câmera algumas poucas vezes.

Centopeias, por sua vez, soltam puns muito menores. Seu trato digestivo simples contém bactérias que produzem metano para ajudar no processamento de comida. Espécies de centopeias tropicais produzem mais gás do que as não-tropicais, já que são maiores.

E pepinos-do-mar não peidam, mas existem espécies de carapidae que vivem em (e se alimentam de) seus genitais.

Rabaiotti não se preocupa com o que um livro sobre peidos pode fazer com sua carreira profissional. Aliás, em breve ela estará escrevendo um outro livro. Ela disse ao Gizmodo que “pode ser vagamente com tema de cocô”.

Imagem do topo: bertknot/Ryan Mandelbaum (Flickr)