Apesar de a E3 estar no meio, a maioria das grandes empresas já fez seus maiores anúncios, e, impressionantemente, a apresentação da Microsoft pareceu um erro. Eu digo “impressionantemente” porque a Microsoft foi a única companhia a apresentar grandes novidades de hardware no show.

• O controle gigante do primeiro Xbox está voltando
• O Xbox Game Pass é uma ideia incrível, mas que fracassa (por enquanto)

Normalmente, quando uma companhia anuncia um novo console e 22 títulos exclusivos, como a Microsoft fez, seria difícil declarar que eles perderam. O simples número de anúncios que a Microsoft fez é impressionante, mas a surpresa pode não ter sido o bastante para salvar a companhia dos ataques dos fãs.

(EA – Lixo Microsoft – Lixo Bethesda – Lixo Agora a Sony tem que salvar a E3 #Denovo)

(A Sony chamou todos seus desenvolvedores depois da conferência da Microsoft e falou para ficarem em casa que iam reprisar a E3 do ano passado)

(A Nintendo venceu a E3 em 25 min. A Microsoft teve quase 2 horas rs)


(dá pra acreditar como a conferência da microsoft estava lotada nos maiores momentos da e3?

-pior nome de console
-esportssszzzz
-moleque ciberpunk idiota)

Existe uma razão principal pela qual a Microsoft foi vista como perdedora, apesar de todas as novidades que apresentou em um dos mais longos eventos da E3: não tem nenhum jogo. Tanto a Nintendo quanto a Sony deixaram os fãs loucos com anúncio de grandes jogos exclusivos que serão lançados em breve, títulos muito aguardados como Super Mario Odyssey e Xenoblade Saga 2, da Nintendo, e Spider-Man, Detroit e um novo jogo Uncharted, da Sony.

A Microsoft, por sua vez, tinha um novo jogo de corrida Forza e… na verdade, só isso. A maioria dos seus “exclusivos”, os jogos que fazem você escolher o console porque é o único lugar para jogar esse jogo, ou é exclusivo da “Microsoft”, o que significa que você pode jogá-lo no PC também, ou é exclusivo temporariamente, como o Rise of the Tomb Raider de 2015. Isso quer dizer que, durante algum tempo, o título só estará disponível para Xbox One. Mais tarde, ele estará disponível para Windows, PS4 e, em raros casos, para Switch.

Com essa minúscula seleção de jogos exclusivos para atrair as pessoas, a Microsoft está precisando de outra forma de empolgar os consumidores – e precisa disso desesperadamente. A Sony anunciou que vendeu mais de 60,4 milhões de unidades de PS4 até agora. A Nintendo não apresentou seus números, mas, como seu console começou a ser vendido em março, a estimativa de 2,74 milhões de unidades vendidas é impressionante. A Microsoft também não anunciou seus números, mas em janeiro a SuperData estimou que o total de consoles vendidos entre seu lançamento em 2013 e janeiro de 2017 foi de cerca de 26 milhões.

A Microsoft está perdendo.

Particularmente, eu achei que a Microsoft poderia usar a potência do seu novo console para fornecer a melhor solução em realidade virtual até o momento para conseguir atrair mais consumidores. No entanto, como exposto na Wired e no Polygon, esse não é o caso. “O nosso foco principal é tornar as nossas experiências de realidade misturada um sucesso nos PCs Windows 10”, Alex Kipman, técnico da Microsoft, disse para o Polygon na semana passada.

Em vez disso, a Microsoft parece ter esperança de que a simples potência de seu console possa ser o bastante para pagarem US$ 500 em um Xbox One X. O chefe do Xbox, Phil Spencer, disse para a Eurogamer que o “Xbox One X é para o consumidor que está procurando o console mais potente que vai rodar cada jogo que eles jogarem melhor do que qualquer outro console”.

O que é ótimo – para o gamer de console faminto por potência, o Xbox One X pode certamente ser uma resposta, mas gamers com fome de potência geralmente não vão atrás de consoles. Eles procuram montar seus próprios PCs. Spencer gabou-se durante o evento da Microsoft que o Xbox One X pode fazer cálculos de 6 teraflops, certamente bastante poder de processamento. Ainda assim, o cara sentado ao meu lado murmurou: “meu computador faz 8 teraflops”. Como o Gizmodo notou, uma placa de vídeo de ponta, como a 1080Ti da Nvidia, faz 11,3.

Portanto, embora o Xbox One X certamente seja poderoso, as pessoas com vontade de potência podem conseguir algo quase duas vezes mais rápido montando sozinhas suas máquinas, e, pelo fato de os “exclusivos” do Xbox serem exclusivos da Microsoft, os gamers de computador não terão necessidade do console.

O que faz parecer que a Microsoft realmente se colocou em uma sinuca de bico. O Xbox One X pode ser o console mais rápido do mercado, mas não é a máquina de jogos mais rápida, nem tem exclusivos maneiros como a Nintendo ou exclusivos de realidade virtual como a Sony. Muito pode acontecer no próximo ano conforme o Xbox One X e os jogos otimizados para a máquina estiverem no mercado. Pode ser que as pessoas realmente estejam atrás de um console com gráficos insanos e que o console vire o jogo para o lado da Microsoft. Mas, no momento, parece que a companhia que nos deu o Xbox 360, um dos consoles mais populares de todos os tempos, está a caminho do último lugar.

Imagem do topo: Alex Cranz/Gizmodo