Não existe nada como o 16 Psique no nosso sistema solar – um pequeno objeto metálico num cinturão de asteroides. E por isso a NASA decidiu mandar uma sonda para conferir de perto as bizarrices desse lugar.

“A humanidade já visitou mundos rochosos e congelados, mas nunca vimos um mundo metálico”, disse Lindy Elkins-Tanton, principal investigador da Missão Psyche que acabou de receber sinal verdade da NASA como parte do programa Discovery, numa conferência com jornalistas. “A aparência de Psique continua um mistério. Será uma verdadeira exploração e descoberta”.

• Um destes cinco projetos pode ser a próxima missão planetária da NASA
• O novo telescópio de raio X da NASA vai estudar os objetos mais estranhos do universo

Medindo apenas 210 quilômetros de diâmetro, esse pedaço gigante de minério no espaço conhecido como 16 Psique está localizado no principal cinturão de asteroides do nosso sistema solar. Acredita-se que ele seja parte do núcleo de um pequeno planeta que foi destruído no início do nosso sistema solar. E visitar um lugar como Psyche poderia oferecer aos cientistas chances de aprender mais sobre os interiores misteriosos de alguns planetas, incluindo a Terra – e essa é uma das razões pela qual a NASA decidiu seguir em frente com essa missão incomum.

“A pressão no núcleo da Terra é mais de 3 milhões de vezes a pressão do ar. Nunca iremos chegar no núcleo da Terra”, disse Elkins-Tanton. “Psyche permitirá visitar esse espaço interno ao visitar o espaço externo”.

Outro motivo para visitar Psyche: mineração espacial.

“Acho que uma das coisas mais importantes que iremos descobrir é sobre como são as condições da superfície de um asteroide metálico”, continuou Elkins-Tanton, apontando que a superfície de Psyche pode nos contar muito sobre a dificuldade de fazer a mineração de um asteroide como esse no futuro.

Psyche é uma das duas missões que acabaram de ser escolhidas pela NASA, de cinco finalistas anunciados no ano passado, para receber o financiamento da classe Discovery. A outra missão, chamada Lucy, fará o reconhecimento dos asteroides Troianos de Júpiter. Os asteroides Troianos são uma coleção heterogênea de rochas espaciais influenciadas pela gravidade prodigiosa de Júpiter, e sua composição diversa pode conter informações sobre a formação do sistema solar.

Psyche-formacaoPotenciais mecanismos de formação da Psyche. Imagem: Lindy Elkins-Tanton et. al / 46th Lunar and Planetary Science Conference (2015) via USRA.

Lucy e Psyche serão lançadas em 2021 e 2023, respectivamente. A Lucy fará o primeiro encontro com um asteroide em 2025 e passará cinco anos cercando os objetos Troianos, utilizando novas versões dos instrumentos incluídos na missão New Horizons que foi em direção ao Plutão.

A Psyche deve chegar ao seu destino em 2030. A missão irá orbitar o 16 Psyche durante 20 meses, tirando fotos, medindo a força e a gravidade do campo magnético e determinando a composição precisa do asteroide.

Lucy e Psyche são a décima terceira e décima quarta missões da classe Discovery. Elas seguem os passos de algumas das expedições mais emocionantes da NASA, incluindo a missão Dawn para Ceres e a missão OSIRIS-Rex para o asteróide Bennu.

Imagem do topo: conceito artístico de Psyche. Crédito: NASA/JPL.