Quando o assunto é a corrida pelo PC mais potente, não existe nada que seja demais. Por isso que a Nvidia foi lá e criou a Titan V, uma GPU de US$ 3.000 (R$ 9.920 em conversão direta, na cotação atual), que a companhia afirma ser a placa gráfica mais potente já criada. Apropriadamente, a Nvidia pintou a placa de ouro, para você não confundir com nenhuma das outras GPUs comuns.

Brincadeiras à parte, jogar com a Titan V não é realmente o melhor uso possível. Anunciada durante a NIPS, conferência de sistemas de processamento de informações neurais, em Long Beach, na Califórnia, a Titan V, foi, de acordo com a Nvidia, projetada para ajudar cientistas e pesquisadores a superar limites da inteligência artificial e aprendizado de máquina.

A Titan V tem especificações impressionantes, mesmo se comparada com sua antecessora, a Titan Xp, de US$ 1.200. A nova GPU conta com 12 GB da segunda geração de memória de alta largura de banda (a primeira vez que a HBM2 está disponível em uma GPU “para consumidores”) em um chassi dourado. A Titan Xp tinha 12 GB de RAM DDR, que é mais lenta. Isso significa que a largura de banda de memória da Titan V é muito maior. De acordo com a Nvidia, ela tem uma largura de 652,8 GB por segundo, cerca de 20% mais rápido do que os 547,7 GB por segundo da Titan Xp.

A Titan V tem também 5.120 núcleos CUDA (contra os 3.840 na Titan Xp), então ela consegue processar muito mais dados em paralelo. E quando a Titan XP foi lançada em abril, a Nvidia afirmou que ela tinha 12 bilhões de transistores. A nova GPU quase dobra o número: são 21 bilhões. Então ela consegue atingir 110 teraflops, nove vezes mais do que sua antecessora e 18 vezes mais rápida do que o console mais potente existente hoje, o Xbox One X. Além disso, a Nvidia também adicionou o que chama de Tensor Cores, que será utilizado para resolver problemas em aplicações de inteligência artificial realizados na plataforma de aprendizado de máquina do Google, o Tensorflow. E para finalizar as características da GPU de US$ 3.000, os usuários da Titan V também terão acesso livre a uma gama de softwares de deep learning e computação de alta performance, bastando acessar sua conta Nvidia GPU Cloud.

Embora o produto claramente não seja voltado para o público tradicional de PC gamers (a Titan 1080Ti é mais do que o suficiente para a maioria das pessoas), a nova arquitetura Volta desta GPU pode pavimentar o caminho das GPUs de próxima geração da marca, já que eles dizem que a Volta é duas vezes mais eficiente energeticamente em relação as atuais placas baseadas em Pascal, além de oferecer um aumento “dramático” de performance. Comparado com a Titan XP, a Titan V deve ser 30% mais rápida mesmo utilizando os meses 250 watts de energia.

Se você realmente precisa de uma GPU monstruosa dessa na sua máquina, a Titan V já começou a ser vendida nos Estados Unidos. Mas não gaste sua grana comprando duas delas, porque ela não possui conectores SLI.

Imagem do topo: Nvidia