Parte do medo que algumas pessoas têm de viajar de avião é o isolamento do resto do mundo que a aeronave proporciona. A quilômetros de altura, se algum maluco sai do controle, para onde correr!? Se você é uma delas, prepare-se para uma sessão de terror: a lista dos objetos mais barrados no aeroporto de Congonhas.

Tem muita coisa bizarra e, pior, assustadora ali. O UOL teve acesso aos depósitos de Congonhas, onde os itens barrados nas máquinas de raio-x ficam antes de serem incinerados pela segurança aeroportuária.

Alguns são engraçadinhos, como a algema fofa cor-de-rosa que a dona provavelmente usaria para fins bem diversos dos da polícia naquela noite, ou a miniatura realmente pequena de uma carabina com… o quê? 5 cm? Pois é, nem isso passa. A política da ANAC é tolerância zero com réplicas, por mais inofensivas que sejam. Objetos fora de suspeita num primeiro momento, como agulhas de tricô e compasso escolar também são proibidos.

A parte engraçada, porém, termina aqui. Só em abril foram quase 900 objetos pontiagudos que pararam na fiscalização de Congonhas. Facas, garfos, tesouras, coisas que as pessoas levavam em suas bagagens de mão. Outros itens absurdos, como lança-perfume, líquidos inflamáveis e até uma adaga com cabo de punhal também estão listados ali. Imagine essas coisas no voo? Não, imagine mesmo. Maluquice.

A ANAC estipula quais objetos não podem ser transportados na bagagem de mão em voos nacionais. Alguns são bem óbvios, como objetos cortantes, pontiagudos e “contundentes”, sem falar em líquidos e gases inflamáveis, tóxicos e outras coisinhas do mal do tipo. No site da agência há um guia do passageiro e um folder com dicas sobre a bagagem. Ter o mínimo de bom senso também ajuda. Veja a galeria completa com as fotos de alguns dos objetos barrados no link ao lado. [UOL]