Esta é a pergunta bizarra do dia. Se um humano tentasse bicar madeira com a cabeça, ele iria perder pelo menos um olho e sofrer lesão cerebral permanente. Mas os pica-paus fazem isso a vida inteira e não sofrem qualquer dano. Como eles conseguem?

As teorias incluem: músculos superpoderosos, uma técnica de bicar que evita lesões, ou uma localização do cérebro que o protege dentro do crânio. Mas ninguém havia analisado a mecânica do crânio de um pica-pau com tanto detalhe como o pesquisador Fan Yubo e sua equipe, no Laboratório de Biomecânica e Mecanobiologia da Universidade Beihang, China. A equipe publicou seu estudo hoje na Science China Press.

Eles passaram três anos estudando as propriedades mecânicas, microestrutura e composição do osso craniano e bico do pica-pau, e os compararam com os da cotovia. Eles descobriram que pica-paus, ao longo de milhões de anos de evolução, desenvolveram em sua estrutura craniana habilidades incríveis de nanofabricação e automontagem:

A resistência do bico nos dois pássaros na verdade é semelhante. Mas o osso craniano do pica-pau é muito mais forte que o da cotovia, descobriram os pesquisadores. Isso se deve mais ao “osso esponjoso em forma de lâmina” no crânio deles, que os torna resistentes à deformação. Especificamente, ele tem um volume maior de estruturas chamadas trabéculas, pequenos espaços no osso que são organizados de forma bem próxima, o que ajuda a propagar e espalhar o impacto. Na imagem acima, o osso craniano do pica-pau é a imagem A; da cotovia é a B. No C vemos o bico do pica-pau, e no D o da cotovia.

Os pesquisadores esperam que o trabalho deles possa inspirar novos equipamentos de proteção para sua cabeça – isso mesmo, para humanos. Eu só estou contente em ver este grande mistério da natureza finalmente resolvido. [Science China Press]

Foto inicial por Shutterstock/Gregory Synstelien