Mais de cinco mil pessoas passaram pelo Roadsec São Paulo no último sábado (11) e acompanharam quase 24 horas de palestras e atividades relacionadas com cultura hacker. O evento é o maior do gênero na América Latina e, em sua quarta edição, promoveu debates sobre cibersegurança, biohacking e coleta de dados.

Das mais de 40 palestras e painéis, que foram divididos em seis trilhas diferentes (segurança, hacking, tecnologia, comunidades, appsec e carreira), o destaque foi Amal Graafstra, inventor do biochip e fundador da empresa de biohacking Dangerous Things, que falou sobre os implantes e como eles podem ser mais seguros do que marcas biométricas como digitais, íris e rosto – que podem ser clonadas com algum esforço. O evento promoveu ainda o implante de 100 biochips.

O Roadsec é itinerante e, em 2017, passou por 18 capitais brasileiras. A quinta edição do evento em São Paulo, inclusive, já está marcada para o dia 10 de novembro de 2018.

Imagem do topo: Divulgação/Roadsec




Mais de cinco mil pessoas passaram pelo Roadsec São Paulo no último sábado (11) e acompanharam quase 24 horas de palestras e atividades relacionadas com cultura hacker. O evento é o maior do gênero na América Latina e em sua quarta edição promoveu debates sobre cibersegurança, biohacking e coleta de dados. Saiba mais aqui.