Como quem lê o Gizmodo Brasil viu aqui, nesta terça-feira (17) aconteceu nos EUA a primeira audiência pública sobre OVNIS (sigla para Objetos Voadores Não Identificados).

Foi a primeira vez em 50 anos que o Comitê de Inteligência da Câmara de Deputados dos EUA se reuniu para debater possíveis aparições e contatos com OVNIs.

Durante a sessão, representantes do governo norte-americano revelaram que o Pentágono reuniu cerca de 400 relatórios sobre OVNIs. E, apesar desses casos, os relatórios afirmam que nada até agora confirma a existência de seres extraterrestres.

O deputado André Carson, que presidiu a sessão, argumentou que a falta de crença na existência de possíveis extraterrestres leva muitos oficiais da Marinha e Força Aérea americana “não fazerem relatórios contundentes” sobre os casos.

Já Ronald S. Moultrie, o principal oficial de inteligência do Pentágono, ressaltou que tem os mesmos interesses que o deputado sobre o assunto. “Queremos saber o que está lá fora, assim como você que”, disse. Mas afirmou que seu principal objetivo era manter o pessoal e as bases militares dos EUA em segurança.

Scott W. Bray, vice-diretor de inteligência naval, afirmou aos políticos que eles ainda não descobriram nada de “origem não-terrestre”, apesar de haver incidentes que eles ainda não conseguiram explicar.

Segundo Bray, nenhum dos OVNIs que consta nos relatórios tentou se comunicar com aviadores dos EUA. Não houve nenhuma tentativa humana de se comunicar com eles também, disse ele, pois todos pareciam não ser tripulados.

As investigações de OVNIs pelos EUA duram cerca de sete décadas — e, pelo visto, estão longe do fim. Uma coisa é certa: enquanto tiver gente tentando provar que não estamos sozinhos, vão existir novas “evidências”, avistamentos e mais possíveis casos para somar à lista.