Nem por todos os vídeos de gatos e atores engraçados nos GIFs que têm no mundo, não há como negar que estar muito online não é a melhor coisa para a saúde mental de ninguém. Estamos ansiosos e irritados com o tempo que passamos nas redes sociais, somos oprimidos por nossas caixas de entrada de e-mail e pelas manchetes deprimentes sobre o comportamento das empresas de tecnologia que deixam muitos de nós deprimidos.

No meu caso – e talvez no seu também – as coisas param são, num sentido geral de “ahhhhhhhhhh”. Não é possível que todo mundo seja tão sortudo. Cada vez mais, vemos o desespero das pessoas em relação à nossa entediante distopia transformar-se em fobias reais: um tipo específico de transtorno de ansiedade que é intenso o suficiente para impedir que uma pessoa viva ativamente uma vida desimpedida.

Embora certos medos da tecnologia não tenham entrado no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (o livro de referência principal que os profissionais de saúde mental usam para diagnosticar seus pacientes), alguns especialistas em psicologia estão pressionando para que isso seja mudado no futuro. Nesse espaço, sinta-se à vontade para tentar se encontrar dentro de uma dessas fobias;

1. Nomofobia 

Foto: Paul Ellis (Getty Images)

Em 2008, os Correios do Reino Unido recorreram a uma empresa de pesquisa externa para pesquisar 2.163 usuários de telefones celulares em toda a região, procurando descobrir o quão ansiosos esses aparelhos ultramodernos estavam deixando os clientes. Você não ficará surpreso ao descobrir que a resposta foi: extremamente ansioso! Mais da metade dos entrevistados – cerca de 53%, para ser preciso – relatou sentir um tipo específico de nervosismo nervoso sempre que o telefone perdia o sinal, era desligado ou simplesmente … ficava algum tempo sem usar.

Os pesquisadores decidiram chamar a condição dessas pessoas de “nomofobia” – literalmente uma abreviação de “fobia de ficar sem o celular” ou medo de ficar sem acesso ao telefone celular por um período prolongado de tempo. Desde a primeira pesquisa, pesquisadores de todo o mundo publicaram estudos e mais estudos detalhando como essa fobia está intimamente relacionada a outros problemas, como depressão crônica, distúrbios do sono e baixa auto-estima.

2. Escopofobia

Foto: Steve Parsons (Getty Images)

Em 2018, um jornal indiano de psicologia publicou um estudo de caso descrevendo como a obsessão de privacidade digital de uma mulher estava enviando sua vida para uma realidade paralela. A paciente de 54 anos apareceu na porta do médico mostrando “angústia e medo significativos sobre sua segurança”, após ler o relatório detalhado de hackers roubando dados pessoais dos indivíduos.

É um medo bastante racional (e comum!). Mas também fez com que a vida dessa mulher desmoronasse. Ela começou a perder e-mails importantes porque estava com muito medo de verificar sua caixa de entrada e parou de pagar suas contas online porque estava receosa sobre usar o aplicativo de pagamentos online do banco.

“Embora a segurança computada deva ser levada a sério, ela pode se tornar excessiva para algumas pessoas, levando a evitar o uso do computador”, chamando seu diagnóstico de “fobia de internet”. Esse nome não pegou, mas alguns pesquisadores no mundo da privacidade digital começaram a usar outro termo: “escopofobia”, que apenas se traduz em um medo excessivo de ser olhado por outra pessoa. Graças à pandemia global que força todos nós a viver a maior parte de nossas vidas no plano digital, isso significa – como disse um analista de privacidade – que todos estamos sendo vistos digitalmente de forma quase constante. Quem não ficaria paranoico com isso?

3. Radiofobia

Foto: Darren McCollester (Getty Images)

No momento em que todos os tiozões começaram a jorrar teorias ligando a tecnologia 5G ao câncer e à Covid-19, as conspirações infundadas das pessoas sobre ondas de rádio e radiação já circulavam pelo país há décadas. O termo para esse medo específico – radiofobia, literalmente o medo da radiação em todas as suas formas – surgiu pela primeira vez no debate público no início dos anos 1900, poucos anos depois que os médicos começaram a usar raios-X em seus pacientes.

Naquela época, fazia sentido ter um pouco de cuidado com a máquina que o médico estava lançando. Nos primeiros dias dessa tecnologia, trabalhadores de fábricas encarregados de fabricar tubos de raios-X acabariam com queimaduras de radiação tão graves que em pelo menos um caso a mão de um funcionário precisou ser amputada. Alguns dos pacientes expostos a esses primeiros dispositivos, entretanto, não se saíram muito melhor.

Assine a newsletter do Gizmodo

Por alguma razão, esses temores persistiram até a era moderna, apesar de agências federais e autoridades médicas divulgarem estudos intermináveis mostrando que as máquinas modernas são, digamos, modernas. No século desde que essa tecnologia foi testada pela primeira vez, criamos máquinas que injetam nos pacientes doses relativamente baixas de radiação que são muito mais seguras do que as que as pessoas usavam em 1903.

4. Aviofobia 

Foto: John Moore (Getty Images)

Você provavelmente conhece ambos pelos nomes mais comumente usados: medo de dirigir e medo de voar. Digo “provavelmente” porque essas duas fobias são, de modo geral, as mais comuns nesta lista. Um estudo publicado no início deste ano descobriu que entre 33% e 40% dos passageiros relatam sentir algum tipo de ansiedade na hora da decolagem, com um pequeno subconjunto – entre 2,5% e 5% – ficando ansioso o suficiente para ser classificado como completo aviofobia crônica. 

5. Amaxofobia

As cidades devem eliminar os carros para serem habitáveis, dizem pesquisadores

As estatísticas sobre amaxofobia, por outro lado, são mais difíceis de encontrar, mas os pesquisadores descobriram que ela está intimamente ligada ao transtorno de estresse pós-traumático que as pessoas costumam sentir depois de escapar de um acidente de carro. E, honestamente, você pode culpar alguém por não querer assumir o volante depois disso?

Mesmo ignorando seus destroços comuns, empresas como a Tesla nos deram muitos outros cenários de pesadelo para os motoristas entrarem em pânico. Existem carros sem motorista que provavelmente não deveriam estar sem motorista, problemas de bateria que fazem os veículos pegarem fogo com o motorista dentro e, claro, idiotas como esse cara.

6. Fobofobia 

Foto: Sean Gallup (Getty Images)

A fobofobia é literalmente um medo de desenvolver mais fobias do que as que você já tem – que é exatamente o que estou sentindo depois de examinar dezenas de sites centrados em fobia para escrever esta lista. Agora, se você me dá licença, preciso fazer logoff para queimar todos os celulares e laptops que já tive.