Você acelera, chega à velocidade máxima e o mundo se desmancha em um borrão ao seu redor. Qualquer experiência como essa já é épica, mas no Shooting Challenge do Gizmodo US com este tema, as imagens realmente traduzem o significado do adjetivo.

Imagens em formato e tamanho de wallpapers estão AQUI.

Voando

(Acima)

"Câmera… ok. Réplica de óculos suíços… ok. Amigos dispostos ao ridículo de dirigir pra lá e pra cá na mesma rua até a foto sair perfeita… ok. Foi tirada com uma Nikon D90 e 11-24mm Tokina @ f16, 1/13, ISO 160. Foi usado Burst Fire para combater os buracos da estrada."
[Nota do editor: Adorei o feeling de quadrinhos da foto. Um crop mais apertado, eliminando o carro da imagem para realçar a natureza fantástica da foto, poderia aumentar o efeito.]
-Nick Sprankle

As luzes da cidade

Nikon D5000, Nikkor 10-24mm, Nikon SB-600, 14.8 segundos de exposição, f/8, 10mm, ISO 200. Eu enfiei um tripé no banco de trás do meu carro do jeito que deu. Pedi para um amigo dirigir o carro em uma rodovia movimentada e tirei a foto. Foi em RAW, para que eu pudesse depois processar a imagem como uma HDR em photomatix. E sim, aquilo no painel é um rádio FM de pilha com a antena estendida. Não me julguem.
[Nota do editor: Minha parte favorita dessa foto foi o uso de uma lente de 10mm. Ela alargou o escopo da foto, tornando a perspectiva parecida com a de um cockpit, não apenas um carro.]
– Dan DeChiaro

Carinha na bike

Eu venho usando uma Canon Rebel XTi com lente 50mm 1.8 prime. Esta foto foi tirada à tarde e eu usei ISO 100 e f/22 com velocidade de obturador 1/20. A foto é de um estranho qualquer que passou de bicicleta quando eu já estava prestes a desistir de fotografar carros. Acabou ficando boa. Originalmente foi tirada em cores, mas eu ajustei no iPhoto.
[Nota do Editor: Parece que o cara está pedalando casualmente a 150km/h na rodovia.]
– Lucas Lim

[Insira referência a Star Wars aqui]

Tirada com uma Canon 5d Mark II e lentes 24-105mm F4 L a 24mm. A abertura estava no mínimo possível, em f 22, com ISO 200 e um filtro de densidade neutra com duas paradas, resultando numa velocidade de obturador de 1/5 de segundo. A pior parte de conseguir essa foto foi evitar ser acertado na cabeça por todos os Stormtroopers passando ao meu redor. Felizmente, eu acho que esses capacetes não oferecem grande visibilidade… Mas sério, eu decidi desenterrar um dos meus bonequinhos antigos de Star Wars e montá-lo no cabo do tripé da minha câmera em frente à lente. Depois foi só ir até a rua, alinhar o trooper e a sua bike com o plano de fundo e tirar uma foto enquanto movia a câmera para a direita. Um pouco de Photoshop foi necessário para remover o tripé da imagem e adicionar uma somba abaixo da bike.
[Nota do editor: Configuração inteligente, dá pra tirar uma série de fotos de super-heróis em plena ação.]
– Charlie Dwyer

Comercial de carro

Nikon D90, Nikkor 70-300mm f/4.5-5.6 VR, 1/350, ISO 100, f/5, 185mm. Locação: Calgary, Alberta, Canadá. Nós temos um "rodoanel" relativamente novo que conecta duas grandes rodovias bem perto da minha casa. O limite de velocidade é, bem… rápido… e as pessoas realmente pisam fundo ao passar por este asfalto novinho. Eu saí para dar uma caminhada na área entre a minha casa e a rodovia e sentei ali, praticando fotos por um tempão. Este foi um desafio bem difícil para mim, e eu errei a mão em diversos outros carros esportivos bem mais legais do que este, mas no fim acabei conseguindo esta foto deste Infinity correndo a cerca de 140km/h logo antes de começar a chover… Dei sorte.
[Nota do Editor: As cores fortes e contraste, combinados com a quantidade de correta de blur, criam um efeito bem interessante neste sedan comum correndo por uma rodovia comum.]
– Richard Morrison

D’Funnybone

Este é Edgar Prado, montado no cavalo D’Funnybone ao se aproximar dos portões na 11a corrida do dia 28 de agosto de 2010, no Saratoga Race Course. A foto foi tirada com as mãos usando uma Canon 50D com a lente EF 70-200mm f2.8 IS II a 88mm, 1/40 segundos a f/11, ISO 100, prioridade de obturador e modo 2 de estabilização de imagem ligado. Eu estava acampando ao lado da cerca no sol por mais de duas horas, cozinhando, quando o D’Funnybone me proporcionou uma imagem boa dele, correndo isolado dos outros cavalos. Eu sabia que não conseguiria parar o movimento do cavalo e ainda alcançar o motion blur no plano de fundo, mas senti que conseguiria congelar o jóquei e mostrar a energia e o movimento do cavalo junto com o plano de fundo borrado. Infelizmente, ele não venceu a corrida.
[Nota do editor: É bem interessante que o jóquei está nítido enquanto o cavalo, com tanto movimento vertical contrastante, fica borrado em muitas partes.]
– Rob Gierthy

O menor porta-malas da categoria

Tirada com as mãos usando uma Canon 500D com lentes Tamron 18-50mm 2.8 a 50mm, f6.3 e 1/25s. Eu estava ansioso para participar deste desafio, já que um dos meus passatempos favoritos é sentar em um cafe de beira de estrada em Hanoi e observar o vai e vem maluco de motos carregando todo tipo de coisa. Infelizmente, o clima estava realmente ruim, então não consegui tanto tempo quando eu gostaria para praticar. Mesmo assim, entre duas pancadas de chuva, consegui esta foto de uma das muitas famílias vietnamitas andando de moto (às vezes até 4 na mesma moto!). Espero que vocês gostem desta autêntica cena vietnamita.
[Nota do Editor: a expressão de tédio na cara do garoto é o melhor da foto, pra mim.]
– Romain Gresset

Roller Derby

Equipamento: Nikon D90 e lentes 18-200mm VR-II
Configurações: 35mm, 1/20s, f/8, ISO 640.
A foto foi tirada no New Hampshire Roller Derby de 28 de agosto. Madame Scurrie, do Queen City Cherry Bombs, estava ultrapassando um bloco de pessoas por fora como a principal jammer. O time veio a vencer o Elm City Derby Damez por 95-17.
[Nota do editor: um ótimo exemplo de como uma técnica fotográfica pode exacerbar a natureza de um momento.]
– Ryan Powers

Vencedora: Jeep

 

Canon 50D, F/14, 1/20s, ISO 100. Esta foto foi um esforço em equipe. Foi tirada em um campo próximo à minha casa. Meu pai dirigia o Jeep (um 1954 Willys), e a minha mulher dirigia a nossa caminhonete.  Eu fiquei deitado na caçamba com a portilhola aberta e segurando a câmera o mais próximo possível do chão. Eu configurei a câmera e só fiquei apertando aquele botão e torcendo, já que não conseguia ver a tela ou o viewfinder. Tentei algumas configurações diferentes, e esta foi a que funcionou melhor. Foi difícil casar as velocidades dos dois veículos e os balanço também atrapalhou, já que passamos por trechos fora de estrada, mas todos nós nos divertimos muito.
[Nota do editor: o design quadrado e duro do Jeep combina perfeitamente com o foco perfeito da fotografia. Quando se nota que a roda e a grama estão com tanto motion blur, torna-se ainda mais difícil acreditar que o Jeep esteja tão bem focado. Excelente foto. E, ah, eu quero um Jeep igual ao do seu pai.]
– Chuck