O fórum anônimo 8Chan — que costumava abrigar extremistas, teóricos da conspiração e outros tipos de sujeira — voltou ao ar hoje depois de se desligar em agosto, devido à associação com vários tiroteios em massa. Rebatizado como 8kun (“kun” e “chan” são títulos honoríficos em japonês), o fórum agora tem uma ressalva importante à abordagem sem limites da liberdade de expressão, e ela é descrita em linguagem simples na primeira página do site: tudo o que for considerado ilegal nos Estados Unidos será removido.

Não se sabe exatamente quantos dos milhões de ex-usuários do 8Chan visitaram sua nova casa hoje, mas o administrador do site, Ron Watkins — filho do proprietário e operador do 8Chan Jim Watkins — disse em um vídeo no YouTube que o tráfego intenso e ataques cibernéticos estavam causando problemas significativos no site. De acordo com o Twitter do 8Chan, a maioria dos subfóruns do top 25 foi migrada, e outros 200 enviaram solicitações.

Uma ausência notável até agora é o subfórum /pol/. Vários suspeitos de participar de tiroteios em massa postaram seus manifestos nele antes de iniciar seus atentados terroristas mortais. O provedor de rede do 8Chan, Cloudflare, cortou os laços com o site em agosto, depois de um ataque em El Paso, Texas, deixar 20 pessoas mortas. Acredita-se que o suspeito pelo ato tenha postado um manifesto racista e anti-imigrantes no 8Chan antes do ataque. Também foram compartilhadas imagens ao vivo do ataque terrorista em Christchurch, Nova Zelândia, realizado em março.

Desde agosto, o 8Chan luta para encontrar empresas de serviços de internet que topem trabalhar com ele por causa dessas controvérsias. Apesar disso, Jim Watkins continuou a defender o site em depoimento ao Congresso e no YouTube.

O tempo dirá se o 8kun será uma fossa tão suja quanto seu antecessor. Dito isso, o infame teórico da conspiração QAnon já deu as caras por lá.