Grafeno é maravilhoso. Ou, pelo menos, pode ser. Feito de uma camada de carbono com um átomo de espessura, é o material mais forte no mundo, é completamente flexível, e é melhor condutor do que o cobre. Descoberto cerca de uma década atrás, o supermaterial tem potencial para aplicações inacreditáveis para nós em um futuro não muito distante.

Tudo isso é apenas hipotético neste ponto, mas pode se tornar real antes do que podemos imaginar. E todos eles são incríveis.

Uploads ultrarrápidos. Estamos falando em um terabit em apenas um segundo.

original (15)

Imagem: Shutterstock/Nonnakrit

Plugue sem smartphone e em cinco segundos ele está totalmente carregado. O lado ruim aqui é que você não terá mais a desculpa da falta de bateria. A tecnologia, desenvolvida na Universidade da California, usa LightScribe – impressão direta em CD ou DVD. Mas, em vez de imprimir em disco, ela produz baterias de grafeno.

original (14)

E se nós tivéssemos uma solução para limpar a água infectada próximo a Fukushima? Cientistas de Rice dizem que o grafeno pode aglutinar lixo radioativo, facilitando a eliminação deles. Flocos de grafeno se ligam rapidamente a radionuclídeos naturais e artificiais conseguem condensá-los e torná-los sólidos.

original (16)

Imagem: wellphoto/Shutterstock

Ele pode melhorar o seu jogo de tênis, graças a raquetes especiais da HEAD que miram em colocar o peso onde ele é mais útil: na cabeça e no cabo.

original (17)

Imagem: Shutterstock/Robyn Wilson

Água, Água, em todos os lugares. Mentes do MIT têm um plano para um filtro de grafeno com pequenos buracos que são grandes o suficiente para deixar a água passar e pequenos o bastante para separar o sal, tornando a água salgada segura para consumo.

original (18)

Imagem: Twentieth Century Fox

Touchscreens que usam grafeno como condutores podem usar plástico no lugar de vidro. Isso pode significar telas finas e resistentes e o fim da preocupação em despedaçar o seu smartphone.

original (19)

Uma única folha de grafeno pode produzir fones de ouvido que tem frequência comparável a um par de Seinheisers, como alguns cientistas da Universidade de Berkley nos mostraram recentemente.

original (20)

Imagem: UC Berkeley

Supercapacitores de grafeno tornariam baterias obsoletas. A mesma tecnologia das baterias que são carregadas em cinco segundos foi usada para produzir supercapacitores em alta velocidade.

original (21)

Imagem: UCLA

Grafeno pode pavimentar o caminho para dispositivos biônicos em tecidos vivos que podem ser conectados diretamente aos nossos neurônios. Então pessoas com lesões vertebrais, por exemplo, podem reaprender a usar os membros.

original (22)

Imagem: Shutterstock/Lightspring