Há 50 anos, nenhum hominídeo havia conseguido chegar ao espaço. Ham, o chimpanzé astronauta, além de ter um dos melhores nomes da história da ciência, mudou tudo isso. A LIFE divulgou imagens nunca antes vistas do peludinho espacial.

Nesta publicação fotográfica inédita, nós vemos o pequeno Ham (sigla em inglês para o Centro Médico Aerospacial de Holloman, onde foi originado) sendo colocado em sua mochila de pré-lançamento. Que postura! Quanta graça! O chimpanzé nasceu para esta missão.

Ham foi na verdade apenas um de uma equipe inteira de chimpanzés espaciais que foram treinados para um lugar a bordo do foguete Mercúrio. Mas insisto, olhe para este chimpanzé! Tão austero e pronto para o cosmos. O treinamento dos chimpanzés requeria proficiência com os controles da nave espacial, como pode ser visto aqui. A motivação? Ração de banana, é claro. Isso é bem marcante – os chimpanzés não estavam apenas sendo treinados para dar um passeio de foguete, mas sim para realmente controlar um no espaço. Ham provou ser um macaco superior, batendo outros 39 que competiam para liderar a missão.

E o final? Ham foi um ato de classe. Aqui está ele, todo sorridente após o retorno à terra – apesar de ter machucado o nariz na aterrissagem – e provavelmente à espera de uma generosa recepção por parte de adoráveis moças chimpanzés. Sua estadia no espaço durou menos de 20 minutos, mas provou que complexos controles mecânicos poderiam ser operados no espaço rápido o bastante para voltar com segurança – apontando o caminho para o histórico voo espacial de Alan Shepard naquele mesmo ano. Ham foi um herói, um pioneiro e um chimpanzé. E por tudo isso, ele teve uma confortável aposentadoria de herói no zoológico nacional de Washington, DC. Seus restos mortais estão agora no Hall Internacional da Fama Espacial. Esse macaco teve mais sucesso do que eu jamais terei.

Dê uma olhada na LIFE para ver todas as fotos – macacos e espaço são duas das coisas mais maravilhosas que existem, e a união deles é ainda melhor. [LIFE]