O desempenho do filme A Entrevista está sendo observado de perto, e não apenas devido à polêmica envolvendo a Coreia do Norte. Ele foi lançado ao mesmo tempo nos cinemas e na internet, e poderia servir como um estudo de caso para futuros lançamentos simultâneos. Mas, por enquanto, ele só comprova algo que a indústria cinematográfica já sabia.

A Entrevista teve uma bilheteria nos cinemas de US$ 2,8 milhões em quatro dias. No mesmo período, ele rendeu US$ 15 milhões em plataformas online como YouTube e Xbox Video: ele foi alugado e comprado mais de dois milhões de vezes.

Por que a diferença é tão grande? É porque o filme foi lançado em apenas 331 cinemas nos EUA, a maioria independentes. Boa parte da bilheteria costuma vir de grandes redes como Cinemark, AMC e Regal, que não exibiram o filme. Segundo a NATO (Associação Nacional de Proprietários de Cinema), havia 5.317 cinemas nos EUA em 2012, estatística mais recente.

Ou seja, você provavelmente não verá o próximo Vingadores ou outro blockbuster seguindo o exemplo d’A Entrevista: afinal, eles conseguem atrair um público enorme para os cinemas e garantem muito mais salas para exibição.

A Entrevista parece indicar que, se seu filme terá uma distribuição pequena em salas de cinema, vale a pena lançá-lo online também. Só que isso já vem acontecendo há anos entre filmes independentes: títulos como Melancolia, de Lars von Trier; Margin Call – O Dia Antes do Fim, com 88% no Rotten Tomatoes; e Amor Pleno, indicado a prêmio no Festival de Veneza, foram todos lançados rapidamente em VOD (vídeo sob demanda) nos EUA – e com sucesso.

Alguns filmes chegam a plataformas online alguns dias depois de serem lançados no cinema. Em outros casos, o lançamento é simultâneo. E ainda há casos chamados ultra-VOD, em que o filme é lançado na internet antes de chegar ao cinema. Isso pode dar certo: a comédia Quatro Amigas e um Casamento fez isso e, em dois meses, faturou US$ 5,5 milhões no iTunes, contra uma bilheteria de apenas US$ 418.000.

A Sony Pictures diz que A Entrevista é o maior lançamento online do estúdio. O filme está disponível no YouTube, Google Play, Xbox Video e iTunes, além do site SeeTheInterview.com; o aluguel custa US$ 6.

Espero que os estúdios de cinema passem a valorizar mais o VOD, e também torço que eles aprendam uma lição: filmes deveriam ser lançados no mundo inteiro, especialmente se você pode oferecê-los online. A Entrevista está restrito apenas a EUA e Canadá; ele foi pirateado mais de 1,5 milhão de vezes. [Hollywood Reporter via The Verge]