Seguindo os passos de praticamente todas as grandes empresas da indústria, a Microsoft aparentemente planeja lançar uma versão remasterizada de Gears of War para Xbox One. Mas informações sobre o relançamento vazaram e isso não agradou nem um pouco os executivos da empresa.

No mês passado, vídeos começaram a surgir na internet mostrando o modo multiplayer da remasterização de Gears of War para Xbox One. Com gráficos melhorados e cutscenes retrabalhadas, os vídeos vazados eram bem convincentes. Aparentemente, eles foram gravados a partir do recurso de DVR do Xbox One. E o remake era apenas do primeiro jogo da série — e não uma coletânea com todos lançados para Xbox 360, como rumores antigos sugeriam.

A Microsoft não gostou nada de ver imagens do jogo ainda não anunciado pipocarem pela internet, e decidiu agir. Nesta semana, funcionários da empresa VMC relataram que seus consoles simplesmente pararam de funcionar, e isso já era uma ação direta da Microsoft.

A VMC é uma empresa terceirizada especializada em teste de jogos. Eles contratam pessoas para jogarem jogos ainda não lançados em busca de bugs e qualquer tipo de erro. Mas algumas dessas pessoas contratadas passaram a vazar as imagens do jogo, violando assim o acordo de não-publicação fechado entre a VMC e a Microsoft.

Gears of War

A VMC tentou se explicar e disse que um de seus funcionários foi enganado.

“Recentemente, vários vazamentos foram feitos por diversos membros da comunidade de testes. Em um dos casos, um membro que participava do teste compartilhou uma imagem no Snapchat com um amigo que não fazia parte do projeto, mas enganou essa pessoa para que ela acreditasse que eles trabalhavam no mesmo projeto. Após receber a screenshot, o amigo que recebeu o Snapchat vazou a imagem na internet, traindo seu amigo assim como seu NDA com a VMC Games.”

Os dois envolvidos nessa história foram desligados do programa segundo a VMC. Mas os transtornos acabaram sendo um pouco maiores para as pessoas que de alguma forma vazaram informações da remasterização de Gears of War.

“Como os testadores violaram o acordo, a Microsoft desativou permanentemente suas contas da Xbox Line (assim como outras contas suspeitas presentes nos seus Xbox Ones), e temporariamente bloqueou todos os privilégios no Xbox One — o que significa que por um período de tempo determinado pela Microsoft, o Xbox One ficou totalmente inutilizável.”

O comunicado da VMC deu a entender que a Microsoft tem poder de simplesmente inutilizar completamente seu Xbox One assim que ela quiser. Não seria apenas banir usuários da Xbox Live — como a Microsoft faz há tempos para combater a pirataria no seu console. É um caso em que os consoles se tornariam verdadeiros tijolos incapazes de fazer qualquer coisa. Isso é meio assustador.

Mas a Microsoft decidiu se explicar e disse que não é bem assim:

“Para deixar claro, se um console for suspenso da Xbox Live por violar os Termos de Uso, ele ainda pode ser usado offline. A ação da Microsoft não resulta em um console inutilizável. Suspensões tanto para consoles quanto contas são determinados ao observar uma série de fatores. Para evitar essa ação, que inclui a suspensão do serviço, os usuários devem seguir os Termos de Uso e Código de Conduta da Xbox Live.”

Portanto, a Microsoft diz que aqueles vazadores ainda podem jogar em seus Xbox One, só que eles precisam estar desconectados da internet. Não é exatamente transformar o console em uma caixa sem utilidade, mas é quase — sem acesso à internet, jogadores não podem baixar patches de correção de bugs, muito menos jogar títulos que exigem conexão com a internet, como Destiny. Mas, aparentemente, a Microsoft não é capaz de decidir que seu console deve se transformar em um tijolo.

Em relação a Gears of War, as coisas seguem sem confirmação oficial. Mas tudo bem. Falta exatamente um mês para a conferência da Microsoft na E3 — será dia 15 de junho — e certamente esse remake de Gears of War estará lá.