Jacob Aron – New Scientist

A imagem acima parece uma fumaça se esvaindo, ou mesmo o trabalho de uma aranha bastante confusa. Mas na verdade, você está vendo de perto o material mais leve já criado.

Entre os recordistas anteriores estava o aerogel, usado pela NASA para coletar poeira de um cometa. Ele é 99,9% feito de ar, e tem densidade de apenas 1mg/cm³. Isto foi superado pela micrograde metálica, com densidade ainda menor: 0,9mg/cm³.

Agora temos o aerografite, que ganha fácil do recorde anterior. Com uma densidade menor que 0,2mg/cm³, ele quase não existe. Pesquisadores da Universidade Tecnológica de Hamburgo e da Universidade de Kiel, ambas na Alemanha, o criaram usando uma rede de tubos ocos de carbono em escalas nano e micro. Como mostra a imagem acima, obtida por microscópio eletrônico, ele é quase todo um espaço vazio – mas se você o segurasse na mão, ele seria como uma esponja preta.

Sua natureza esparsa significa que o aerografite pode ser comprimido por um fator de mil, mas volta a seu tamanho original. O material também aguenta até 35 vezes mais peso que o aerogel. E o aerografite pode conduzir eletricidade: isto significa que pode ser usado como parte de uma bateria ultraleve.

A New Scientist relata, investiga e interpreta os resultados dos esforços humanos no contexto social e cultural, proporcionando uma cobertura abrangente das notícias da ciência e tecnologia.

 

Imagem por TUHH, Karl Schulte/DPA/Press Association Images