O que você sabe sobre o Escritório de Reconhecimento Nacional (NRO na sigla em inglês) dos EUA? Você sabia que essa agência espacial misteriosa tem dois telescópios espiões mais poderosos que o Hubble que estão simplesmente sem uso enquanto você lê isso? E você sabia que eles os doaram à NASA para estudar os segredos do universo? Sim, foi exatamente isso o que aconteceu.

Os telescópios NRO-1 e NRO-2 estão, no momento, desmontados em um depósito em Nova Iorque, esperando para serem recolhidos. De acordo com o Washington Post, os espelhos do telescópio medem 2,4 metros de diâmetro, como os do Hubble. Mas diferente do combalido telescópio atualmente em órbita, o hardware do NRO tem um espelho secundário que resulta em um poder de resolução 100 vezes maior.

Isso, claro, deixou cientistas e pesquisadores bastante entusiasmados. De acordo com o New York Times, muitos acreditam que a dupla rejuvenescerá o programa espacial norte-americano com a esperança de que o poder dos telescópios permita o estudo da matéria escura e como ela se relaciona com a expansão do universo.

“Astrônomos têm feito pressão para uma missão espacial para investigar a matéria escura desde que as observações de explosões de estrelas, conhecidas como supernovas, indicaram que a expansão do universo está acelerando — descoberta que rendeu a Dr. Reiss e outros dois astrônomos norte-americanos um prêmio Nobel. O destino do universo, bem como a sua natureza física, dizem os cientistas, dependem da natureza dessa matéria escura.”

Mas ainda há muito trabalho a ser feito antes que isso aconteça. Ainda não há programa algum — nem dinheiro, nem engenheiros, nem instalações — para colocar esses instrumentos em órbita. Os telescópios estão até sem câmeras, espectrômetros e ferramentas de navegação necessárias para operar.

Na realidade, pouco se sabe sobre para que os telescópios eram utilizados antes ou por que eles estão atualmente desmontados em um depósito do governo. O Escritório de Reconhecimento Nacional, mesmo sendo uma agência espacial pública, lida quase que exclusivamente com satélites espiões e outras engenhocas relacionadas ao espaço com a finalidade de coletar informações. De acordo com a NASA, os satélites muito provavelmente não estarão funcionando até 2020 — no mínimo.

Mas quando essas coisas estiverem prontas, cara… Teremos bons motivos para ficarmos empolgados. [Washington Post, New York Times]