Um novo estudo sugere que alimentar seu filhote de quatro patas com alimentos frescos próprios para humanos pode ter um efeito positivo adicional: cocôs menores. As descobertas sugerem que uma dieta de qualidade humana é mais facilmente digerível por cães do que dietas padrão feitas de alimentos processados ​​secos, e também pode satisfazer o apetite de um cachorro com menos calorias por refeição.

Kelly Swanson, um cientista de nutrição da Universidade de Illinois, em Urbana-Champaign, estuda nutrição de cães e gatos há cerca de duas décadas. Mais recentemente, ele e sua equipe têm pesquisado dietas para animais de estimação baseadas principalmente em carnes frescas e minimamente processadas e outros alimentos. Às vezes, essas dietas são compostas de ingredientes certificados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e feitos para consumo humano, que são chamadas de “dietas de qualidade humana” quando aplicadas a animais de estimação.

Embora as empresas de alimentos para pets estejam começando a desenvolver opções de “qualidade humana”, o termo não tem significado oficial e há poucas evidências de que essas dietas sejam saudáveis ​​para o consumo dos animais. Nem tudo que as pessoas podem comer é necessariamente bom para os animais de estimação, e nossos bichinhos podem ter necessidades nutricionais diferentes das nossas. Mas o estudo recente de Swanson, publicado no Journal of Animal Science no mês passado, sugere que dietas frescas e de qualidade humana ainda são capazes de fornecer aos cães nutrição suficiente e podem ser ainda melhores do que outros tipos de dieta.

Eles recrutaram 12 cães para seus experimentos. Esses cães foram cuidadosamente observados por um período de vários meses, enquanto cada um experimentava uma das quatro dietas diferentes. Uma dieta era feita de ração seca; outra era feita de alimentos frescos minimamente processados ​​(principalmente frango); e duas eram feitas de ingredientes de qualidade humana (frango e carne, respectivamente, junto com alguns vegetais e carboidratos como arroz ou batata). Todos os produtos estavam disponíveis comercialmente.

No final, a equipe descobriu que os cães tinham os maiores cocôs quando comiam comida seca e os menores quando comiam comida de qualidade humana (o cocô de comida fresca também era menor do que o de comida seca). A principal razão para essa assinatura fecal menor é provavelmente porque essas dietas são cheias de ingredientes que são amplamente digeridos pelos cães, com menos desperdício. Estudos anteriores feitos pelos pesquisadores, em que eles deram comida de qualidade humana para galos, mostraram um efeito semelhante na digestão.

“De todos os formatos de dieta que testamos ao longo dos anos, esses alimentos de qualidade humana foram os mais digeríveis”, disse Swanson em um e-mail para o Gizmodo. “Mais de 90% do que foi consumido foi digerido e absorvido.”

Os cães também comiam mais quando recebiam ração seca do que os outros tipos de comida. É possível que alimentos frescos saciem a fome de um cão mais do que uma dieta processada – um efeito que também foi visto em pessoas. As dietas de qualidade humana também parecem mudar a composição do microbioma intestinal dos cães, a comunidade de bactérias que vivem dentro de animais como humanos e cães. Acredita-se que esses microbiomas são importantes para a manutenção de uma boa saúde geral.

Embora essas descobertas sejam certamente intrigantes e possam apontar para os benefícios adicionais de dietas frescas e de qualidade humana, Swanson não quer assustar os donos cujos cães parecem estar perfeitamente bem comendo ração.

“Como a maioria dos alimentos comerciais existentes no mercado são de alta qualidade e nossos animais de estimação estão vivendo mais e com mais saúde do que no passado, não quero soar um alarme e sugerir que todos precisam mudar a dieta de seus animais imediatamente”, disse ele. “Eu acho que vale a pena, no entanto, continuar testando os vários formatos de dieta para determinar se eles podem ou não impactar a saúde a longo prazo.”

Ele ressalta que há muitos fatores envolvidos na escolha de uma boa alimentação para nossos cães, e todas as dietas terão suas vantagens e desvantagens, como custo e equilíbrio nutricional. Em última análise, os donos devem examinar cuidadosamente qualquer dieta que decidam dar aos seus cães, incluindo as de empresas que pretendem vender ração de qualidade humana.

“Para donos de cães que estão felizes com sua alimentação atual e o animal é saudável, pode não haver razão para mudar”, disse ele. “No entanto, para aqueles que não estão felizes com sua dieta atual, acho que a comida fresca de qualidade humana é algo a se considerar. Este tipo de dieta não é barata, mas oferece muitos benefícios potenciais para o animal de estimação e seu dono.”

Swanson e sua equipe planejam continuar a estudar como essas várias dietas afetam a digestão, os microbiomas e outros resultados de saúde de um cão.