Se você tem um modelo mais antigo do Kindle para ler livros e histórias em quadrinhos, é melhor ficar de olho: em breve, seu dispositivo poderá perder o recurso de acesso à internet, inutilizando o aparelho para download de títulos diretamente pela web. Clientes da Amazon já começaram a ser alertados sobre a mudança, que atinge principalmente as versões do e-reader com suporte apenas para as redes 2G e 3G.

A decisão da Amazon é efeito de uma mudança provocada por operadoras de telefonia móvel nos Estados Unidos, que iniciaram este ano a transição de redes 2G e 3G para tecnologias mais recentes, como 4G e 5G. Estas duas últimas ocuparão o espectro das redes mais antigas, o que, consequentemente, vai cortar o acesso à internet de qualquer dispositivo que só tenha compatibilidade com redes de segunda ou terceira geração.

Os Kindles mais afetados são os de primeira e segunda geração, além do Kindle DX de segunda geração. Todos foram vendidos apenas com a função celular, o que significa que não é possível utilizá-los em conexões Wi-Fi.

Embora algumas operadoras tenham adiado o encerramento de seu serviço 3G, quando os Kindles mais antigos não forem mais compatíveis com as redes de celular, os usuários não poderão mais baixar novos conteúdos. Felizmente, qualquer livro baixado antes que isso aconteça permanecerá salvo no leitor digital até que o usuário delete o arquivo. Em todo o caso, o relógio já começou a correr: o desligamento das redes 2G e 3G deve começar agora no final de 2021. O desligamento total está previsto para 31 de dezembro de 2022.

Quais modelos do Kindle perderão acesso à internet?

Esta é a lista de leitores da Amazon que deixarão de ter suporte a redes 2G e 3G a partir do fim deste ano:

  • Kindle (1ª e 2ª gerações);
  • Kindle DX (2ª geração);
  • Kindle Keyboard (3ª geração);
  • Kindle Touch (4ª geração);
  • Kindle Paperwhite (5ª, 6ª e 7ª gerações);
  • Kindle Voyage (7ª geração);
  • Kindle Oasis (8ª geração).

Assine a newsletter do Gizmodo

Com exceção dos dois primeiros da lista, para as demais versões citadas e os modelos mais recentes do Kindle que vêm com conectividade Wi-Fi e celular, elas ainda poderão se conectar por redes domésticas sem fio, sem nenhum problema. Versões do Kindle com 4G e Wi-Fi também continuarão funcionando normalmente.

Além disso, a Amazon parece estar disposta a facilitar a transição de redes — ou torná-la menos cara para os donos de Kindle. Prova disso é que, nos EUA, a companhia oferece um desconto de US$ 50 na compra de um novo Kindle Paperwhite ou Kinde Oasis. Também estão garantidos outros US$ 15 em créditos para serem usados na hora de adquirir novos e-books. As ofertas expiram em 15 de agosto.

Não há previsão se a campanha será realizada no Brasil, uma vez que as redes 2G e 3G ainda devem ser mantidas por um tempo no País devido ao fato de que a implementação do 5G segue atrasada.