A Amazon continua sua expansão rumo ao domínio mundial abrindo uma filial no México. Ela estreou hoje, nos mesmos moldes da loja brasileira: ela só vende e-books. O Kindle, por sua vez, é encontrado em lojas de terceiros.

Ficamos curiosos para ver como é a diferença de preços entre lá e aqui, e foi uma surpresa: os e-books, em geral, são mais caros na loja mexicana. No entanto, adivinhe qual país vende Kindles a um preço maior?

Para fazer a comparação, usamos a lista dos 20 e-books mais vendidos na Amazon México, e anotamos os preços dos mesmos títulos na loja brasileira. Só consideramos os casos em que o livro está disponível aqui em espanhol (como no México) ou em português.

A maioria dos livros é mais barata… no Brasil. Dos 13 livros analisados, oito custam menos aqui:

amazon mexico brasil

No entanto, nos raros casos em que um livro é mais caro no Brasil, ele é realmente mais caro: “Inspiracion diaria para una vida con proposito” e “O evangelho segundo Jesus Cristo” custam o dobro por aqui. Mas são exceções que comprovam a regra.

Refizemos os cálculos usando a taxa de câmbio R$ 1 = 6,25 pesos que valia até junho, para desconsiderar a desvalorização do real. Neste caso, sem contar os casos extremos mencionados acima, livros brasileiros seriam 3% mais baratos, em média. Ou seja, os preços no México ainda seriam (levemente) maiores.

E o catálogo local deles é maior. No México, a loja estreou com mais de 70.000 e-books em espanhol; deles, 1.500 são gratuitos. No Brasil, temos quase 18.000 livros em português, dos quais 2.800 são gratuitos.

Por que existe essa diferença no preço? Um possível motivo pode estar nesta imagem:

amazon mexico brasil 3

“Preço final determinado pela editora”. Na loja mexicana, a Amazon deixa claro (na maioria dos títulos) que não escolheu o preço. E, no fim, são as editoras que seguram o preço num patamar mais alto. Lembre-se que a Amazon demorou a estrear no Brasil justamente porque as editoras resistiram muito à vinda da empresa.

Basicamente, a mágica do e-book a 10 dólares só aconteceu por causa dos acordos gigantescos nos EUA. A Apple foi considerada culpada de agir em conjunto com as editoras para aumentar esse preço mínimo. No entanto, mesmo antes disso acontecer, os preços dos e-books voltaram a cair por lá, agora que a Amazon tem amplo domínio do mercado. Aqui e no México, pelo visto, a história é diferente.

Outro possível motivo (e causa?) da diferença nos preços: o hábito de leitura. Os mexicanos leem apenas 2,9 livros por ano; os brasileiros leem 4 livros por ano. Nos EUA, a média anual é de 15 livros por habitante.

Ah sim, e o Kindle? Não é novidade que ele custe mais barato no México: o Paperwhite com 3G custa R$ 80 a menos; e o Kindle simples custa R$ 50 a menos. Sim, gadgets são mais caros no Brasil: com certas coisas, sempre podemos contar. [Amazon]

R$ 1 = 5,64 pesos mexicanos; foto por Martin D/Flickr