Em mais um capítulo da briga judicial entre Johnny Depp e Amber Heard, a atriz revelou que teve o papel em “Aquaman 2” reduzido por conta da polêmica que está enfrentando na justiça com seu ex-marido. 

Em depoimento nesta segunda-feira (16), a atriz disse que a Warner Bros. originalmente queria cortá-la do papel de Mera no filme sequência da DC — e que ela precisou “lutar muito” para continuar na franquia. Além disso, contou que ganhava versões do roteiro em que tinha cenas cada vez mais reduzidas.

Como destaca o o site Screen Rant, Heard afirmou que o ex-marido orquestrou uma “campanha difamatória” para arruinar sua carreira e reputação. Ela afirmou que existe uma “máquina de relações-públicas sofisticada” por trás de Depp para rotulá-la de mentirosa na imprensa estrangeira, e fazê-la perder trabalhos no cinema.

“Perdi oportunidades. Fui dispensada de empregos e campanhas. Lutei para manter meu emprego e a maior oportunidade de filme que tive até hoje foi Liga da Justiça e a opção de [estrelar] Aquaman”, disse Heard ao tribunal. “Tive que lutar muito para ficar na Liga da Justiça [de 2017] porque essa foi a época do divórcio.” 

A atriz ainda está sendo alvo de uma petição online que pede que ela seja substituída de “Aquaman 2”, que já conta com mais de 4 milhões de assinaturas no Change.orgA petição detalha várias alegações feitas por Johnny Depp, que sugerem que ele foi abusado física e mentalmente por Heard.

A resposta do público parece ter influenciado o posicionamento da Warner, embora produtores de “Aquaman 2” tenham afirmado que não cederiam à pressão. Dirigido por James Wan, “Aquaman e o Reino Perdido” teve seu lançamento adiado de 16 de dezembro deste ano, para 17 de março de 2023.