por Bruno Izidro

Um alien, um predador, um psicopata imortal e um maluco com motosserra entram em um bar…



A continuação dessa história certamente não vai lhe fazer dar risadas e se o tal bar se chama “Mortal Kombat XL”, o resultado será muitos gritos e sangue pela tela. Mas tá tudo bem, porque é justamente isso que queremos ver no famoso jogo de luta da NetherRealm e a adição de ícones dos filmes de terror só faz ele ficar mais legal de jogar.

>>> Street Fighter V tá tranquilo pra quem gosta de luta e favorável pra quem só quer se divertir
>>> Top 8 do mundo em Street Fighter, brasileiro fala sobre eSports, Daigo e Street Fighter V

Tudo começou meio como uma piada, uma brincadeira, quando Freddy Krueger, dos filmes A Hora do Pesadelo, foi adicionado como boneco adicional no Mortal Kombat de 2011. Deu super certo. Agora com Mortal Kombat XL (que poderia ser XG aqui no Brasil) – a edição definitiva do jogo lançado ano passado – temos outros quatro personagens vindos de filmes de terror e que foram adicionados em pacotes de expansão ao longo do ano: o Xenomorfo da série Alien, o predador do filme de mesmo nome, Jason Voorhees de Sexta-Feira 13 e Leatherface de O Massacre da Serra Elétrica.

No jogo, os personagens recebem o mesmo tipo de tratamento que os outros bonecos, desde as três variações de estilo de luta, que foi a principal novidade em Mortal Kombat X, até, claro, fatalities e brutalities para cada um. Mas será que essas versões digitais dos vilões conseguem transmitir todo o horror que passam em seus filmes? Bom, vamos dar uma olhada mais de perto em como cada um deles está em Mortal Kombat XL. Só tome cuidado para pisar no sangue que eventualmente vai respingar pelo chão.

Jason Voorhees

O assassino quase imortal que adora matar adolescentes seminuas em Crystal Lake foi o primeiro personagem a chegar em Mortal Kombat X, na expansão Kombat Pack. Jason é o típico boneco tanque: lento nos movimentos – do tipo que nem se dá o trabalho de correr, só andar, sabendo que logo logo será o fim do adversário – já que ele possui golpes poderosos, utilizando principalmente o seu inseparável facão.

Jason

Por outro lado, isso faz com que ele não seja lá muito fácil pra se começar a jogar. Pelo menos eles tiveram a decência de não usar nada referente a versão quase ciborgue vista em Jason X.

O mais legal em Jason é que as variações de estilo de luta dele no game captam bem algumas das características que vimos nos filmes. No estilo “Imparável”, por exemplo, ele ganha a habilidade de ressuscitar depois de ser derrotado em um round, voltando com um nível reduzido de vida, assim como acontece em muitos Sexta-Feira 13, quando pensamos que ele está morto, mas sempre ressurge.

Toda a carnificina de Jason também está bem representada nos fatalities e, principalmente, brutalities no game, seja nele partindo metade do adversário ao meio com seu facão ou quebrado a costela de outro e aproveitando pra separar o pobre coitado logo ao meio.

Predador

A raça alienígena conhecida por nós como predador há muito se cansou de caçar o Arnold Schwarzenegger no cinema, e foi pra Exoterra procurar por espécies mais exóticas. Usando de seus instintos, o predador é um boneco bem de boa para se lutar, rápido e com golpes que servem tanto de perto quanto de longe, graças as suas armas tecnológicas que atiram plasma e que tanto vemos nos filmes.

Até mesmo a camuflagem é usada como um recurso de luta. Não que ela realmente deixe o predador invisível, mas com ela ativada o boneco recebe menos danos. Outra característica legal tirada dos filmes é que a animação de vitória do alienígena é tirar o crânio do adversário pra guardar como troféu em sua nave.

Os fatalities do personagem no jogo não chegam a ser tão legais assim, mas em compensação, os brutalities são um belo exemplo do quão assustador eles podem ser. Em um deles, o predador usa a mesma tática de autodestruição visto no final do primeiro filme, deixando tanto ele quanto o adversário aos pedaços. Em outro, ele usa uma de suas armadilhas pra dissecar o infeliz que quis enfrentá-lo.

Leatherface

O psicopata que gosta de usar máscaras feitas de peles humanas dos filmes da série O Massacre da Serra Elétrica é uma das novidades da versão XL de Mortal Kombat. No game inventaram até uma desculpa pra ele estar no torneio, algo a ver com ele não poder voltar pra casa, no Texas, até encontrar a melhor “carne de chili”, o que o levou a perambular por aí e achar um portal pra Exoterra.

Leatherface

Em termos de jogabilidade, Leatherface é um boneco parecido com Jason, mas um pouco mais ágil. Só é bizarro ele usar a motosserra que dá nome a seus filmes como se fosse uma espada nas costas, fora ele conseguir ligar ela tão rapidamente pra deferir os golpes.

Já um fan service aos que acompanham os filmes está nas máscaras que mudam de acordo com cada um dos três estilos de jogo do personagem. O “Moça Bonita” tem a máscara com maquiagem usada no primeiro filme dos anos 70, o “Homicida” é a padrão também do longa original e o “Açougueiro” é a versão mais recente, do remake dos anos 2000.

Leatherface também tem as finalizações de fatality e brutality mais sangrentas e cheias de vísceras dos novos personagens, quer ele utilize a motosserra pra fatiar qualquer partes do corpo do adversário ou sendo literalmente brutal usando a marreta pra martelar a cabeço dos adversários.

Xenomorfo

O ser que atormenta a tenente Ripley desde os anos 1980 e até já tretou com o predador no cinema é outra novidade, talvez a grande estrela entre as quatro participações do jogo. O Alien que vemos em Mortal Kombat XL está mais para as versões porradeiras vistas do segundo filme em diante, mas não menos assustador.

Alien

Assim como o Leatherface, a Netherrealm criou um tipo de história pra justificar a presença do xenomorfo no game, falando que haviam ovos da espécie adormecidos na Exoterra e que foram liberadas pelos Tarkatâneos, a raça do Baraka. Inclusive, um dos estilos de luta do boneco brinca com fusão do alien com o clássico personagem do game, fazendo-o ganhar lâminas iguais. O Alien também é bem rápido em Mortal Kombat XL e, dependendo do estilo de luta escolhido, pode usar de golpes físicos com sua longa cauda ou outras habilidades como o ácido corrosivo que exala pra machucar bastante os adversários.

Porém, o que destaca mesmo a participação do alien no game são os fatalities e brutalities, que conseguem ser tão assustadores quanto grotescos. Para quem é fã dos filmes, vai adorar principalmente o brutality em que um facehugger participa da brincadeira, refazendo a clássica cena do nascimento de um bebê alien da barriga de um hospedeiro.

Se receber todos os pacotes de expansão lançados até aqui (incluindo as roupas em homenagem ao Brasil) já não fosse o suficiente pra revistar Mortal Kombat X com a versão XL, essas quatro participações especiais já são motivo o suficiente pra isso, mesmo com a dublagem em português da Pitty ainda querendo equalizar a sua cara. Fora que há outros novos personagens também, como Tanya, Tremor e Triborg.

Trazer ícones clássicos dos filmes de terror se encaixou tão bem com a violência e a estética de Mortal Kombat e há tantos outros personagens que podem ser usados ainda – Chuck, Mike Myers (Halloween), e o palhaço assassino, só para citar alguns – que não seria de admirar que a NetherRealm Studios não começasse a pensar em um jogo derivado só com personagens de filmes de terror. Tá aí uma ótima oportunidade.

*Mortal Kombat XL está disponível digitalmente pra PS4 e Xbox One, com a versão física chegando em 7 de abril. A cópia do jogo para esse post foi cedida pela Warner Bros. Interactive.