Neste segundo semestre, estão ficando cada vez mais quentes as conversas de que teremos, em breve, smartphones dobráveis. A Royole que exibiu o esquisito FlexPai, que tem algumas inconsistências de software, e a Samsung mostrou um teaser de um aparelho em sua conferência de desenvolvedores nos EUA.

O primeiro smartphone com tela dobrável já está no mercado — e não é da Samsung

Pois bem. Nesta quarta-feira (7), o Google anunciou que o sistema Android vai passar a suportar aparelhos com telas dobráveis. Chama a atenção que a companhia fez esse anúncio no Android Dev Summit no mesmo dia do início do SDC (Samsung Developers Conference) em que a companhia mostrou seu aparelho dobrável — até parece que não foi combinado.

O fato é que as empresas — Google e Samsung — estão trabalhando juntas para tentar oferecer uma boa experiência para essa nova classe de dispositivos. O Google, reforçando os sinais apresentados empresa sul-coreana, informou que no próximo ano a Samsung disponibilizará seu smartphone dobrável

Crédito: Google

“Você pode pensar nesse dispositivo como um smartphone e um tablet”, disse Dave Burke, VP de engenharia do Android, conforme informa o TechCrunch. “Geralmente, tem duas variantes — dispositivos com duas telas e dispositivos com uma só tela. Quando dobrado, parece um smartphone, que pode caber no bolso da sua calça ou em uma bolsa. O recurso que vai possibilitar o funcionamento de tais aparelhos é algo que chamamos de screen continuity [algo como continuidade da tela].”

Por parte dos desenvolvedores, eles poderão sinalizar um app para responder à tela conforme ela é dobrada ou aberta — da mesma forma como os aplicativos que funcionam na horizontal e na vertical.

Com esse anúncio do Google, devemos esperar um ano de 2019 com algumas opções de smartphones (ou tablets) dobráveis. Estou curioso para ver as possíveis formas e funcionamento desses dispositivos. Pessoalmente, não sei como seria usar um trambolho, dobrá-lo e colocá-lo em meu bolso com um molho de chaves. Deve ser um baita problema de engenharia pensar em elaborar o corpo desses dispositivos de modo que sejam resistentes.

Vai ser interessante ver a Samsung entrar nessa. A companhia tem falado do assunto há um tempo e, com sua bagagem na área de dispositivos móveis, pode entregar um produto que ofereça uma experiência sólida. Bem que a empresa poderia deixar todo esse suspense de lado e disponibilizar logo o novo aparelho, né?