Os produtores de plástico tentaram nos fazer acreditar que as pessoas podem resolver a poluição melhorando os hábitos de reciclagem e diminuindo as compras. Um novo estudo deixa claro o porquê de utilizarem essa tática.

Você já parou para pensar em quantas empresas existem? Agora imagine que apenas 20 delas são responsáveis por mais de 50% do plástico descartado no mundo. Os números são do The Plastic Waste Makers Index, estudo publicado na terça-feira (18), pela fundação australiana Minderoo.

O levantamento mostra que gigantes da energia e conglomerados químicos estão entre as 20 empresas que criaram 55% dos resíduos plásticos globais. Indo um pouco além, o relatório também mostra que apenas 100 empresas respondem por mais de 90% do plástico descartado. A principal fonte de plásticos descartáveis, segundo o relatório, é a Exxon, companhia de combustíveis fósseis. Em 2019, ela contribuiu com 5,9 milhões de toneladas de plástico que foram jogadas fora. Em segundo e terceiro lugar, estavam as duas maiores empresas químicas do mundo, a norte-americana Dow e a chinesa Sinopec. Elas produziram 5,5 milhões e 5,3 milhões de toneladas do material, respectivamente.

A pesquisa também mostrou que o plástico reciclado responde por apenas 2% dos plásticos descartáveis ​​do mundo. A grande maioria é feita de materiais virgens, o que significa que novos combustíveis fósseis foram extraídos para criá-los.

Embora a maioria dos principais empresas esteja sediada na Ásia, o relatório mostra que essas empresas estão fomentando estilos de vida descartáveis ​​em outros lugares. As pessoas na Austrália e nos Estados Unidos produziram as maiores quantidades de lixo plástico, com mais de 50 quilos por pessoa. Em contraste, uma pessoa na China cria apenas 18 quilos por ano.

Limitar o uso individual de plástico é bom. Mas o estudo deixa claro que não resolverá o problema. A única maneira de encerrar esse ciclo, de acordo com o relatório, é restringir a produção de plástico de forma imediata e rápida. Pesquisas anteriores já elaboraram planos para que isso seja feito.

Assine a newsletter do Gizmodo

Do contrário, a crise de poluição do plástico vai piorar, o que contribui para as mudanças climáticas e prejudica a saúde pública, especialmente nas comunidades negras onde as fábricas de produção costumam estar localizadas. O envio de plásticos descartáveis ​​para incineradores e aterros também cria poluição tóxica e aquece o planeta.

Enquanto isso, os materiais que não chegam aos incineradores ou aterros sanitários acabam poluindo os ecossistemas terrestres e oceânicos do mundo. O equivalente a um caminhão de lixo carregado de plástico entra no oceano a cada minuto. Lá, os resíduos matam a vida aquática, carregam doenças e liberam poluentes cancerígenos no ar.

O estudo ainda aponta que o mundo está indo na direção errada. “Projeta-se um aumento de 30% na produção global de lixo nos próximos cinco anos”, disse o relatório. “Este crescimento na produção levará a 3 trilhões de itens de resíduos plásticos descartáveis até 2025.”

Para evitar os piores impactos, é necessário ir além da ação individual e reprimir os produtores de plástico que criaram e perpetuam essa crise. A culpa é deles, por mais que eles tentem convencer você do contrário.