A Apple divulgou seu resultado financeiro no terceiro trimestre, e como esperado, eles venderam uma quantidade enorme de iPhones – a nova geração foi lançada em setembro. Mas, enquanto os Macs crescem, a venda de iPads continua a cair.

Entre julho e setembro, a Apple vendeu 39,3 milhões de iPhones, aumento de 16% em relação ao mesmo trimestre do ano passado. O iPhone 6 e 6 Plus foram lançados em meados de setembro, e quebraram recordes de pré-venda.

iPad

Enquanto isso, o iPad sofre. Foram 12,3 milhões de unidades, uma queda de 12,5% em um ano. Na verdade, esta é a terceira queda consecutiva nas vendas. O que aconteceu? Brian Barrett, do Gizmodo US, explica:

Eis o verdadeiro problema de crescimento do iPad: se você comprou um iPad nos últimos dois anos e meio, você não tem nenhum motivo para comprar outro… tente me dizer uma característica que veio desde o iPad 3 e que vale US$ 500, ou que valha a pena vender seu tablet antigo para ajudar a pagar por um novo. Mais fino? O iPad sempre foi fino o bastante. Mais leve? Ele é bastante leve. Especificações melhores? Touch ID? Ele é rápido o suficiente para o que você precisa fazer. E quais são suas chances de encontrar um iPad Air 2 por aí mostrando exatamente o que você está perdendo?

Este é o mesmo problema dos PCs: demora alguns anos até que você sinta a necessidade de substituí-lo por um novo. Os phablets também estão canibalizando o espaço de tablets menores.

O lançamento do Air 2 e Mini 3, combinado aos preços menores dos modelos antigos, pode ajudar a reverter isso no próximo trimestre (eles só foram lançados este mês). Além disso, a Apple aposta no setor empresarial: ela fechou este ano um acordo com a IBM para criar apps empresariais para iOS – isso pode dar um estímulo ao iPad.

Tim Cook também diz que as vendas do iPad nos países BRIC – Brasil, Rússia, Índia e China – aumentaram 20% nos últimos doze meses. Ou seja, mercados emergentes – onde há menor saturação de mercado – também podem ajudar.

Mac e iPod

A Apple também vendeu 5,5 milhões de Macs, um aumento de 21% ainda puxado pelo MacBook Air, que ficou mais barato nos EUA. (O iMac com tela Retina não entra nas contas pois foi lançado este mês.)

Enquanto isso, o iPod continua sua morte lenta: foram apenas 2,6 milhões de unidades, queda de 25% em um ano. Para dar uma sobrevida à sua linha de player portátil, a Apple reduziu os preços dos iPod Touch – inclusive no Brasil – e a versão de 16 GB ganhou uma nova câmera e várias cores. No entanto, o iPod Classic parou de ser vendido.

O lucro da Apple no trimestre foi de US$ 8,5 bilhões, aumento de 13% em relação a um ano atrás. As ações operam em alta de 1,5% antes da abertura dos mercados. [Apple via Ars Technica]