Mais um ano, mais um recorde: a Apple vendeu 10 milhões de novos iPhones nos três primeiros dias de lançamento. Esse número é mais expressivo do que vimos no passado, por dois motivos.

Primeiro: o iPhone 6 e 6 Plus ainda não foram lançados na China continental, só em Hong Kong, e mesmo assim as vendas foram fortes. (Na verdade, tem muita gente nas filas com a intenção de revender os celulares para a China.) No ano passado, a Apple vendeu 9 milhões de iPhones em três dias, mas a China foi um dos primeiros países a recebê-los.

Além disso, aparelhos antigos normalmente não entram nesse número de vendas. Mas no ano passado, a Apple basicamente relançou o iPhone 5 como iPhone 5c, colocando seus componentes em um corpo duro de plástico, e contando-o como um novo aparelho. Desta vez, temos de fato dois novos smartphones saindo da Apple – e ambos estão vendendo muito bem.

A Apple perdeu, há algum tempo, a liderança na venda de smartphones para a Samsung. Mas os números dela ainda impressionam: a Microsoft, por exemplo, levou 66 dias para vender 5,8 milhões de Lumias no último trimestre.

Em última análise, os 10 milhões de iPhones vendidos significam que eles continuam atraindo um interesse enorme do mercado, especialmente agora que a Apple enfim cedeu a certas tendências – como telas maiores.

O iPhone 6 e 6 Plus estão disponíveis em dez países, e serão lançados em mais 20 nesta sexta-feira (26). Os smartphones chegarão a 115 países, no total, até o final do ano. Ainda não há informações sobre o lançamento no Brasil. [Apple]