Já faz um tempo que a Apple reconheceu que o iPhone 12 e os acessórios MagSafe podem interferir em dispositivos médicos, como marca-passos e desfibriladores. No sábado, ela publicou orientações adicionais. Em resumo: mantenha os smartphones e acessórios a uma distância segura do seu dispositivo médico.

Em uma página de suporte encontrada pelo MacRumors, a Apple explica que o iPhone 12 contém ímãs, bem como componentes e rádios que emitem campos eletromagnéticos. A empresa também afirmou que todos os seus acessórios MagSafe também contêm ímãs, e que seu MagSafe Charger e MagSafe Duo Charger contêm rádios. Esses ímãs e campos eletromagnéticos podem interferir em dispositivos médicos, disse a Apple.

“Dispositivos médicos, como marca-passos implantados e desfibriladores, podem conter sensores que respondem a ímãs e rádios quando em contato próximo”, escreveu a Apple. “Para evitar qualquer interação potencial com esses dispositivos, mantenha o iPhone e os acessórios MagSafe a uma distância segura do dispositivo (mais de 15 cm de distância ou mais de 30 cm se estiver carregando sem fio). Mas consulte seu médico e o fabricante do dispositivo para obter orientações específicas.”

Desfibriladores são dispositivos que restauram o batimento cardíaco normal de uma pessoa enviando um pulso elétrico ou choque para o coração. Os marca-passos, por sua vez, usam pulsos elétricos para ajudar o coração a bater em uma taxa e ritmo normais e também ajudam as câmaras cardíacas a bater em sincronia para que o coração possa bombear o sangue com mais eficiência.

A Apple declara que os usuários devem consultar seus médicos e fabricantes de dispositivos médicos para obter informações sobre seus dispositivos específicos. Os usuários devem perguntar se precisam manter uma distância segura entre seus dispositivos médicos e seus acessórios iPhone ou MagSafe. A Apple repetiu esse conselho na seção de informações de segurança do Manual do Usuário do iPhone.

A segurança de alguns dos mais novos produtos da Apple tem sido um ponto de preocupação nas últimas semanas após a publicação de um estudo de autoria de pesquisadores do Henry Ford Heart and Vascular Institute que encontrou evidências de que o iPhone 12 pode interferir com cardioversores desfibriladores implantáveis, também conhecidos como ICDs.

Os pesquisadores afirmaram que, uma vez que o iPhone 12 — que tem uma matriz circular de ímãs embutidos em sua parte traseira para permitir que se encaixe em um carregador MagSafe ou outro acessório — foi colocado perto do dispositivo médico perto do coração do paciente, o dispositivo suspendeu suas operações.

A Apple fez questão de mencionar em seu artigo que, embora sua linha iPhone 12 tenha mais ímãs do que as anteriores, “não se espera” que apresente um risco maior de interferência magnética em dispositivos médicos do que os modelos anteriores.

O problema não é específico do iPhone 12 ou dos acessórios MagSafe. Os ICDs podem ser facilmente ativados e desativados por fontes com campos magnéticos, incluindo Fitbits ou vaporizadores. No entanto, essa é uma informação importante a ser considerada ao escolher um novo celular ou ao usá-lo, especialmente para quem depende de dispositivos médicos.

E se você acha que algo não está certo, siga o conselho da Apple. “Se você suspeita que o iPhone ou qualquer acessório MagSafe está interferindo no seu dispositivo médico, pare de usar o celular e os acessórios”, escreveu a empresa.