Com a chegada do iOS 14.3, o formato ProRAW da Apple está entre nós e pode mudar significativamente a forma como os usuários do iPhone tiram fotos. Não apenas para esta geração de aparelhos, mas com o iPhone 13 e além. Se você ainda não conhece o recurso e como usá-lo no seu dispositivo, vamos explicar.

O ProRAW está disponível no iPhone 12 Pro e no iPhone 12 Pro Max, rodando no iOS 14.3 ou posterior. Ou seja, qualquer outro modelo de iPhone que não sejam estes dois é incompatível com a novidade.

Para habilitar o ProRAW, vá para a página de Ajustes do iOS, escolha Câmera e Formatos, e em seguida marque o botão Apple ProRAW. Isso ativa um pequeno botão RAW no aplicativo da câmera do iPhone, que você pode usar para ativar ou desativar o recurso a qualquer momento. Todas as fotos tiradas neste novo formato vêm com uma etiqueta “RAW” quando as imagens são abertas no app Fotos.

E agora a pergunta de um milhão de dólares: por que usar e por que não usar esse novo formato?

Raw, em inglês, significa cru. O formato RAW faz juz ao nome: ele trabalha com os dados brutos vindos da lente. Ele é descompactado e não processado, e fotógrafos profissionais gostam porque permite que apliquem os próprios ajustes e truques a uma imagem sem interferência dos algoritmos da câmera. É como se fosse o formato “puro” da foto.

Captura de tela: Apple/iOS

Obviamente, o ProRAW dos novos iPhones é algo muito pessoal. Muita gente talvez nem ligue para essa função e prefira que o celular faça todo o trabalho sozinho. Em contrapartida, outros usuários vão preferir trabalhar em RAW e modificar por conta própria os níveis de brilho, contraste, cor, saturação e todas as outras considerações que entram na produção de uma imagem finalizada, incluindo níveis de compactação.

Imagens RAW também trazem mais informações – essencialmente tudo que as lentes da câmera capturam – e oferecem muito mais flexibilidade com o que você pode fazer no estágio de edição, o que significa que os tamanhos dos arquivos também são maiores (arquivos RAW ocupam muito mais espaço, já que não estão compactados).

A Apple não é a primeira fabricante de smartphones a usar o formato RAW. E, de fato, a maioria dos celulares modernos já oferecem essa possibilidade. Fotos RAW são normalmente salvas como DNG, um tipo de arquivo RAW amplamente suportado desenvolvido pela Adobe. As câmeras digitais, por sua vez, podem vir com formatos RAW específicos criados pela marca dos aparelhos.

Os iPhones anteriores ao 12 Pro também suportavam RAW, mas os dados completos não podem ser acessados por meio do aplicativo de câmera padrão do iOS, e a opção é válida apenas para a lente principal. Antes do ProRAW chegar, você tinha que instalar um app de câmera no seu iPhone para capturar e salvar todas as informações extras.

iPhone 12 Pro

Imagem: Apple

Agora, o ProRAW está aqui. A Apple descreve a novidade como uma espécie de mistura de fotos RAW e imagens no formato padrão: algumas das técnicas de fotografia computacional do iPhone ainda são aplicadas, deixando muitas opções de pós-processamento para usuários profissionais. Entre as que já são conhecidas estão o Deep Fusion e Smart HDR, que trabalham em conjunto com o ProRAW.

Tanto o Deep Fusion quanto o Smart HDR obtêm informações de vários quadros para produzir imagens melhores. O Deep Fusion otimiza as fotos para aprimorar os detalhes e reduzir o ruído, enquanto o Smart HDR é outro processo de High Dynamic Range, que deve manter os pontos brilhantes e os escuros cheios de detalhes. Uma foto RAW clássica não anexaria esse tipo de cálculo, mas o ProRAW sim, envolvendo tudo em um arquivo DNG ajustado que a Apple desenvolveu em parceria com a Adobe.

O processamento aplicado é feito instantaneamente, sem efeito na velocidade do obturador e funciona com todas as quatro câmeras (três na parte traseira e a frontal) nos modelos Pro do iPhone 12. A Apple diz que configurações como nitidez, equilíbrio de branco e mapeamento de tom não estão embutidas na foto, mas funcionam como “instruções” para qualquer software de edição de imagem que você esteja usando.

O Fotos pode funcionar com o ProRAW, e a Apple está disponibilizando uma API para que ferramentas de terceiros também possam se beneficiar desse recurso. Apps como Lightroom e Snapseed funcionam perfeitamente com RAW, assim como o Halide, um dos aplicativos de câmera RAW mais populares para iPhone.

Este é um exemplo de imagem tirada com o iPhone e a tecnologia DeepFusion. Imagem: Apple

Se você realmente deseja controle pixel a pixel sobre a aparência de sua imagem, então fotografar em RAW clássico ainda é possível (usando um aplicativo de terceiros), e tirar fotos JPEG ou HEIC normalmente ainda é o comportamento padrão. Mas, para uma combinação dos dois, pode valer a pena experimentar o ProRAW.