A Apple divulgou ontem seus resultados financeiros para o terceiro trimestre fiscal (abril, maio e junho de 2018), e eles foram bastante expressivos. As receitas da companhia no período foram de US$ 53,3 bilhões, superando as projeções dos analistas de mercado em US$ 1 bi. O valor de mercado é de US$ 935 bilhões. Se as ações atingirem o valor de US$ 203,46, ela se tornará a primeira empresa a valer US$ 1 trilhão.

Em relação ao mesmo período do ano passado, as receitas cresceram na casa dos dois dígitos em todos os mercados, exceto o Japão.

Por que você não precisa de um iPhone X – ou de qualquer outro smartphone novo e caro
Seis meses depois, será que o iPhone X ainda presta?

Os bons números foram puxados principalmente pelos bons resultados nas vendas de iPhones. Ao todo, foram vendidos 41,3 milhões de celulares. O preço médio de revenda foi de US$ 724, superando as estimativas de Wall Street, que apontavam para um valor de US$ 693. A receita dessa linha somou US$ 29,906 bilhões, um número 20% maior que o dos mesmos meses de 2017.

A Apple não detalha números de cada aparelho, mas diz que o iPhone X “foi o mais vendido do período” e que atingiu 98% de satisfação do consumidor nos EUA.

Outro setor que apresentou resultados contundentes foi o de serviços. Aqui, o aumento em relação ao terceiro trimestre do ano passado foi de incríveis 31%, totalizando US$ 9,548 bilhões de receitas. Até aqui, no ano, a App Store gerou o dobro de dinheiro do Google Play. O Apple Music e os serviços de nuvem cresceram 50% em relação ao ano passado.

De acordo com informações de 12h05, no horário de Brasília, as ações da Apple estavam sendo negociadas na Nasdaq por US$ 200,24, uma alta de 5,23%.

[Apple, The Verge, VentureBeat 1, 2]

Imagem do topo: Getty Images