A Apple sabe que precisa apostar forte em inteligência artificial para conseguir concorrer com Google, Facebook e Amazon nos próximos anos, e para tanto, ela terá a ajuda de uma empresa americana fundada por um brasileiro.

A Turi é uma startup de inteligência artificial localizada em Seattle (EUA) e, segundo a GeekWire e a Bloomberg, ela foi adqurida pela Apple por cerca de US$ 200 milhões.

A startup começou em 2009 como um projeto sob a orientação do brasileiro Carlos Guestrin, engenheiro formado pela USP e PhD em ciência da computação pela Universidade Stanford. Ele oferece aulas no Coursera sobre aprendizado de máquina.

O projeto, inicialmente na Universidade Carnegie Mellon, passou em 2012 para a Universidade de Washington, que recebeu US$ 2 milhões de Jeff Bezos – fundador da Amazon – para duas cátedras de aprendizado de máquina para Guestrin e a esposa dele, Emily Fox.

No ano seguinte, o projeto se tornou uma empresa própria (conhecida como GraphLab), recebeu investimentos e, em 2015, ganhou o nome de Dato. Após uma disputa de marca com a americana Datto, a startup mudou de nome para Turi no início deste mês.

A aquisição mostra como a Apple está dedicada em avançar na área de IA, através da assistente pessoal Siri e de tecnologias relacionadas – como um possível alto-falante inteligente semelhante ao Amazon Echo. A Apple fez cerca de 15 aquisições desde o início do ano passado, e pelo menos duas delas – Perceptio e VocalIQ – também são relacionadas à inteligência artificial e aprendizagem de máquina.

[GeekWire e Bloomberg]

Imagem via YouTube