A Apple está sendo acusada de violar patentes com o iPhone 6 e 6 Plus, porque seu design seria muito parecido com o smartphone 100C. O estranho é que eles têm um visual bem diferente.

O órgão regulador de propriedade intelectual de Pequim diz: “o iPhone 6 e iPhone 6 Plus, da Apple, têm pequenas diferenças em relação ao 100C, da Baili. As diferenças são tão pequenas que o cliente médio não poderia notar. Assim, este caso se enquadra na categoria de proteção a direitos de patente”.

Este é o 100C:

100c

E este é o iPhone 6:

iphone6-gray-select-2014

O 100C não tem o botão Home físico, nem os mesmos botões da lateral, nem o mesmo posicionamento do alto-falante, nem as linhas feias de antena na traseira, nem o calombo da câmera. Ainda assim, ele é considerado indistinguível do iPhone.

A decisão vale apenas na capital Pequim – com quase 22 milhões de habitantes – e não no restante da China. Além disso, a Apple já recorreu, pedindo a um tribunal que revogue a decisão do órgão de propriedade intelectual. Assim, a empresa ainda pode vender o iPhone 6 e 6 Plus em todo o país.

Eis o comunicado que o Gizmodo recebeu:

O iPhone 6 e iPhone 6 Plus, bem como o iPhone 6s, iPhone 6s Plus e iPhone SE estão todos disponíveis para venda hoje na China. Recorremos de uma ordem administrativa dada por um tribunal regional de patentes em Pequim no mês passado e, como resultado, a ordem [de interromper as vendas] foi suspensa enquanto o Tribunal de Propriedade Intelectual de Pequim analisa a questão.

Segundo o Wall Street Journal, a Apple vai encerrar em breve a produção dos dois modelos; e várias lojas na cidade pararam de vendê-los “há meses”, priorizando os mais recentes iPhone 6s e 6s Plus.

No entanto, a decisão poderia abrir um precedente em outras partes da China se não for revertida. Segundo o 9to5Mac, o objetivo da fabricante Baili é “provavelmente chegar a um acordo financeiro com a Apple” – que às vezes prefere fazer resolver o assunto extrajudicialmente, em vez de passar pela decisão de tribunais.

É que a Justiça chinesa nem sempre se alinha com a Apple: este ano, ela perdeu o direito exclusivo da marca iPhone no país. Ela é a dona em se tratando de produtos eletrônicos, mas uma empresa local pode usar a marca iPhone em artigos de couro sem pagar royalties.

[China.org.cnEngadget9to5Mac – Wall Street Journal]