Para empresas de tecnologia, o último trimestre do ano traz um belo aumento nas vendas. É o que aconteceu com a Apple, que teve uma receita recorde de US$ 57,6 bilhões em apenas três meses, com mais vendas de iPhones, iPads e Macs. Porém o lucro estagnou: há três anos, ela tem os mesmos US$ 13,1 bilhões de lucro no último trimestre.

Pela primeira vez em dois anos, a Apple viu um aumento nas vendas de seus computadores Mac: um salto de quase 20% em um ano. Por sua vez, o mercado geral de PCs caiu 7% no ano passado.

O que explica esse aumento? Pode ser o Mac Pro, que recebeu uma atualização após anos esquecido, e é visado por quem trabalha em ramos criativos (cinema, modelagem 3D etc.). Mas também há a nova geração do MacBook Pro Retina, cujo preço é menor do que antes (nos EUA!). Além disso, o Windows 8 não foi recebido com braços abertos por todo entusiasta de PC – quem sabe isso fez alguns usuários migrarem para o Mac.

As vendas do iPad bateram recorde: 26 milhões de unidades, motivadas pelo lançamento do iPad Air e iPad Mini com tela Retina. No entanto, o preço médio estagnou, sugerindo que os clientes estão comprando modelos mais baratos – como o iPad 2, que ainda não morreu.

E a Apple conseguiu vender 51 milhões de iPhones em três meses, mais outro recorde para a empresa. Só que o mercado esperava um número ainda maior: 55 milhões, segundo a Reuters. Por isso, as ações AAPL caem 7%.

Tim Cook disse em call aos acionistas que o iPhone 5S, mais caro, foi mais popular que o 5c. A empresa esperava o contrário, o que poderia ter ajudado nas vendas.

Mesmo batendo recordes de vendas, a receita cresce cada vez menos, como é possível ver no gráfico acima. E isso impacta o lucro, e o futuro da Apple. Será que 2014 é a hora de lançar um produto totalmente novo – como um iWatch ou uma iTV – para manter a empresa no topo? [Apple]